A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), reservados para pacientes com Covid-19, segue em alta em Belo Horizonte. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (6), 86,1% das vagas já estão ocupadas em hospitais das redes pública e privada da capital. Durante um comunicado, feito no fim da tarde de hoje, o prefeito Alexandre Kalil informou que a PBH abriu mais 46 novos leitos de UTI, destinados para os infectados com o vírus. 

Já o número médio de transmissão por infectado (Rt) registrou uma pequena queda em relação ao último boletim - a taxa estava em 1,07 -, divulgado na terça (5), e está em 1,06 agora, o que significa que, em média, 100 pacientes infectados transmitem a doença para outras 106 pessoas.

A taxa de ocupação de leitos de enfermaria também registrou queda, de 67,3% para 63,9%. O dado aparece em amarelo no gráfico de indicadores de monitoramento da pandemia.

O Rt e a ocupação de leitos são os indicadores considerados pela prefeitura da cidade para tomar decisões referentes à reabertura ou fechamento de atividades econômicas. O prefeito Alexandre Kalil, inclusive, anunciou na tarde desta quarta-feira (6) que vai voltar a fechar o comércio não essencial da capital a partir da próxima segunda (11)Durante o anúncio, ele informou que 46 novos leitos de UTI foram disponibilizados para os pacientes com a doença. 

Novos casos em 24 horas

Ainda segundo o boletim, 707 novos casos da doença foram confirmados em 24 horas. Com isso, Belo Horizonte já soma 65.848 infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, em março.

No mesmo período de 24 horas, 14 mortes foram registradas na capital. Nove vítimas são do sexo masculino e cinco do sexo feminino. Ao todo, 1.915 pessoas morreram na cidade.

Os dados também mostram que 60.296 pessoas já se recuperaram da doença. Outros 3.637 pacientes estão em acompanhamento.

Leia mais:
Entenda porque a obesidade é um dos fatores de risco para a Covid-19
Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas até junho
Após confirmar mais de 9,5 mil novos casos de Covid, SES volta atrás e admite erro nos números