Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, está realizando blitze sanitárias na entrada da cidade até esta quarta-feira (30) com aferição de temperatura e orientações para quem chega ao município para as festas de fim de ano. 

Os motoristas são abordados e caso algum ocupante do veículo apresente febre, ele é encaminhado a uma ambulância e levado para uma unidade de saúde. "A pessoa também pode ser orientada a voltar para a cidade de origem para procurar atendimento médico", informou a prefeitura.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a tradicional queima de fogos na orla da lagoa foi cancelada para evitar aglomerações. Na quinta-feira (31), véspera do Ano Novo, um efetivo composto por Polícia Militar, fiscais de postura, da Vigilância Sanitária e equipes de Saúde será deslocado para a orla para garantir que as pessoas não desobedeçam as orientações. "Será proibido o estacionamento de veículos no local e quem insistir terá o carro rebocado. São medidas para desestimular a vinda das pessoas".

Lagoa Santa registrou crescimento da doença nos últimos meses e tem 1491 casos confirmados e 16 mortes. "Faz-se necessário tomarmos essas medidas até porque o serviço de saúde está sobrecarregado, embora a cidade tenha CTI, nós acreditamos que janeiro será muito difícil, com muitos novos casos confirmados", explicou o secretário de Saúde, Gilson Urbano.

Além dessas medidas, o secretário pede a ajuda da população neste momento. "O medo da pandemia já não é o mesmo e as pessoas querem sair e ter uma vida normal. A função da prefeitura é alertar e trazer essa consciência para o momento em que estamos vivendo em relação à pandemia", conclui Urbano.