Integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) fizeram um protesto, na tarde desta terça-feira (22), no supermercado Carrefour, no bairro Floresta, na Região Leste de Belo Horizonte. 

O ato, que contou com a participação de cerca de 100 pessoas, começou por volta das 16h, e teve como motivação a fome no país e a falta de uma resposta do supermercado sobre um pedido de ajuda assistencial. Eles também aproveitaram para relembrar a memória de João Alberto, homem negro assassinado em uma unidade do supermercado em Porto Alegre e criticaram o corte do auxílio emergencial pelo goveno federal.

Os manifestantes ocuparam a área dos caixas e a porta do supermercado. A Polícia Militar acompanhou o protesto.

Em nota, o Carrefour informou que entende que a manifestação ocorrida é legítima e está à disposição para continuar em constante debate com a sociedade e com os movimentos sociais envolvidos. "Reforçamos que a companhia segue apoiando dezenas de projetos sociais junto a entidades parceiras, conforme sua agenda estratégica de responsabilidade social", diz o comunicado.