Mais de cinco mil vistorias relacionadas a riscos geológicos foram realizadas em vilas, favelas e áreas irregulares entre janeiro e dezembro deste ano, conforme informou, nesta segunda-feira (21), a Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel).

Nessas ações, de acordo com a Prefeitura de BH, cerca de 800 famílias foram removidas, preventivamente, durante o último período chuvoso e encaminhadas para programas de auxílio, como o Bolsa Moradia e o Auxílio Pecuniário.

Além disso, algumas pessoas foram encaminhadas para a casa de parentes até a definição da intervenção necessária no local com irregularidade.

De acordo com a Urbel, o intuito das vistorias é evitar que as famílias corram risco diante de chuvas fortes, como as registradas no início do ano.

De acordo com a diretora de Áreas de Risco e Assistência Técnica da Urbel, Isabel Volponi, além das vistorias, a equipe define as intervenções necessárias para a segurança do morador, incluindo disponibilização de assistência técnica e material para intervenções de pequeno porte em parceria com a comunidade.

"Todas as situações exigem muitos procedimentos, pois estamos falando de áreas densas, de risco e ocupadas desordenadamente. Em muitos casos, precisamos remover muitas famílias para realizar a intervenção em toda a encosta. Esse procedimento exige a realização de um projeto específico e recursos necessários, e que exigem um tempo maior para finalização", afirmou.

Como pedir ajuda?

Segundo a prefeitura, a população deve ficar atenta aos sinais de risco geológico, como trincas e rachaduras nas paredes ou nos pisos, em muros de contenção ou movimentação do terreno. Além disso, deve evitar jogar lixo nas encostas ou nos cursos d’água, utilizar fossas e plantar bananeiras nessas áreas.

Em caso de risco, as vistorias podem ser agendadas de segunda à sexta-feira, de 8h às 12h e 13h às 17h, pelo telefone (31) 3277-6409. Em caso de emergência, a população deve entrar em contato com a Defesa Civil pelo número 199.

Situações de risco alto e muito alto
 
Ainda conforme a Urbel, foram eliminadas mais de 60 situações de risco alto e muito alto, finalizadas mais de 80 obras de eliminação de risco, manutenção e melhorias habitacionais, e outras 49 obras realizadas em parceria com a comunidade.

Além disso, cartazes e faixas – com orientações para prevenção ao período de chuvas e telefones para acionar vistorias – foram afixados em mais de 300 locais de vilas, favelas e áreas de inundação.

A equipe de técnicos sociais também realiza reuniões virtuais com os voluntários dos Núcleos de Defesa Civil (Nudec) e de Alerta de Chuva (NAC).

São mais de 800 moradores de vilas, favelas e áreas de inundação capacitados para alertar, monitorar e orientar as famílias participando de vistorias, indicando obras, repassando informações importantes de cuidados e auxiliando a população em caso de emergência.