O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, afirmou que não irá à solenidade de diplomação dos eleitos em 2020. A cerimônia está marcada para a tarde desta sexta-feira (18), no Grande Teatro do Palácio das Artes, no Centro da capital.

Durante coletiva de imprensa realizada nesta manhã, ele relembrou a gravidade da pandemia da Covid-19 na cidade. BH já registrou, até o momento, 1.773 óbitos, segundo boletim epidemiológico de quinta (17). “Prestem atenção neste final de ano. Cuidado para você não matar seu pai, não matar seu amigo, não matar sua mãe e não passar o último Natal com a sua família”, disse.

Por isso, descartou presença no evento, além de afirmar que também não irá comparecer na posse, em 1º de janeiro. “Hoje tem diplomação e não vou. Já comuniquei ao desembargador (Alexandre Victor de Carvalho, presidente do Tribunal Regional Eleitoral). Tem a posse no dia primeiro de janeiro e não vou. Quero completar o meu mandato. Temos que ter responsabilidade. O poder púbico já enterrou quase R$ 420 milhões em ajuda ao povo. Agora não é com o poder público mais, agora é com a população”, finalizou.

Leia mais: 
Minas ultrapassa marca de 11 mil mortes pela Covid-19; número de infectados se aproxima de 490 mil
'Ainda bem que ele lembrou que BH existe', rebate Kalil após críticas de Bolsonaro
BH está pronta para iniciar imunização contra Covid, anuncia Kalil: 'só falta chegar a vacina'