Cerca de 800 famílias de Belo Horizonte foram retiradas preventivamente de áreas de risco geológico e encaminhadas para programas assistenciais ou para a casa de parentes. A prefeitura informou nesta quinta-feira (17) que intensificou as ações de prevenção em vários pontos da cidade. 

Entre janeiro e dezembro - após a ocorrência das chuvas históricas no início do ano - foram realizadas mais de 5 mil vistorias em vilas, favelas e áreas irregulares.  “Todas as situações exigem muitos procedimentos, pois estamos falando de áreas densas, de risco e ocupadas desordenadamente. Em muitos casos precisamos remover muitas famílias para realizar a intervenção em toda a encosta. Esse procedimento exige a realização de um projeto específico e recursos necessários, explicou a diretora de Áreas de Risco e Assistência Técnica da Urbel, Isabel Volponi.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a capital mineira registrou 935,2 mm de chuva em janeiro de 2020, o que representou quase o triplo da média esperada para o período (329,1 mm). Com esse total de precipitação, BH teve o janeiro mais chuvoso da história. Ao longo desse mês, diversos temporais castigaram a cidade, causando 13 mortes, enchentes, deslizamentos de terra e destruição de ruas e avenidas.

Ainda de acordo com a PBH, foram eliminadas mais de 60 situações de risco alto e finalizadas mais de 80 obras de eliminação de risco, manutenção e melhorias habitacionais, além de 49 obras realizadas em parceria com a comunidade. 

Além disso, foram afixados cartazes e faixas com orientações para o período de chuvas e telefones para acionar vistorias em mais de 300 pontos da cidade.

A PBH pede ainda que a população fique atenta aos sinais de risco geológico, como trincas e rachaduras nas paredes ou nos pisos, em muros de contenção ou movimentação do terreno. Os moradores também precisam evitar jogar lixo nas encostas ou nos cursos d’água, utilizar fossas e plantar bananeiras nessas áreas. 

As vistorias podem ser agendadas de segunda à sexta-feira, de 8h às 12h e 13h às 17h, pelo telefone 3277-6409. Em caso de emergência, a população deve entrar em contato com a Defesa Civil pelo número 199.