Minas Gerais registrou redução dos casos de violência doméstica e feminicídios em 2020. Porém, mesmo assim, 122 mulheres perderam a vida no Estado, de janeiro a novembro. Os números foram divulgados pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), nesta quarta-feira (16), durante coltiva com o balanço das ações deste ano.

Em 2019, no mesmo periodo, foram 129 feminicídios - 5% a menos. Já com relação às medidas protetivas, até novembro, foram 36.446 pedidos. Apesar de admitir o aumento, os números do ano anterior não foram informados.

Mesmo em meio ao crescimento do instrumento de proteção, concedido pela Justiça, os casos de violência doméstica caíram 2% em Minas, na comparação com 2019. Em 11 meses, foram 134.348 registros, contra as 137.105.

“Em 100% dos casos de violência doméstica houve instauração de procedimentos aos fatos consumados. A média para abertura para o procedimento foi de um dia e meio, com 71% dos autores indiciados”, explicou o chefe-adjunto da Polícia Civil, Joaquim Silva.

Redução de crimes violentos

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, general Mário Araújo, houve uma redução de 33% nos crimes violentos - o melhor resultado em combate à criminalidade em Minas dos últimos nove anos.

Também houve queda de nas taxas de homicídio (5,8%); tentativas de assassinato (13%); estupro (20,6%); roubos (36,6%) e extorsão (10,9%). Entretanto, as tentativas de extorsão cresceram 12,8%.

Leia mais:

Concessão do Aeroporto da Pampulha e Mineirinho pode tornar BH polo de entretenimento, diz Estado

Grupos prioritários vão demandar 108 milhões de doses da vacina contra a Covid-19