Com o objetivo de tornar Belo Horizonte uma das principais rotas de entretenimento do Brasil, o governo de Minas pretende avançar com a concessão do Aeroporto da Pampulha e do Mineirinho à iniciativa privada no próximo ano. Com a proximidade dos dois locais, a capital mineira teria mais facilidade para receber grandes eventos nacionais e internacionais, o que colaborariam com o desenvolvimento econômico no Estado.

“Acreditamos que se as duas concessões acontecerem no ano que vem, haverá uma mudança completa de panorama da região, valorizando o turismo, afinal, a Pampulha é patrimônio da Unesco, e colocam BH como a principal rota, juntamente com São Paulo, de eventos, turismo, negócios e entretenimento”, explicou o secretário de Infraestrutura e Mobilidade de Minas, Fernando Marcato, durante coletiva sobre o balanço da gestão, nesta quarta-feira (16).

Após uma portaria publicada pelo Ministério da Infraestrutura em junho, a administração do aeroporto, que era feita pela Infraero, voltou a ser do governo estadual, que tem até 31 de dezembro para finalizar a transferência. No entanto, a intenção da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) é conceder a gestão à iniciativa privada.

“Os estudos foram concluídos em novembro e teremos a publicação do edital em julho. Porém, as consultas públicas já se iniciam em fevereiro”, explicou o secretário. 

Desenvolvimento imobiliário 

Conforme o governo do Estado, o projeto da Pampulha vai permitir um desenvolvimento imobiliário da região, que fortalecerá o mercado de negócios. Além disso, o aeroporto se tornará o maior do Brasil dedicado à aviação executiva.

O caso do Mineirinho começou no fim do ano passado, quando o governo deu os primeiros indícios que passaria a gestão do ginásio à iniciativa privada. Segundo Marcato, o plano é transformá-lo em um centro de entretenimento e gastronomia, aproveitando a proximidade com a UFMG e o Aeroporto da Pampulha.

De acordo com o secretário, a concessão torna BH parada obrigatória de turnês e shows internacionais. “Com o Aeroporto da Pampulha e o Mineirinho, com a proximidade que existe entre os dois, é possível trazer qualquer evento para Belo Horizonte”, garantiu

Para Fernando Marcato, com a capacidade hoteleira, infraestrutura e de entretenimento, a capital mineira passa a ser o centro nacional de desenvolvimento de negócios. “O objetivo é colocar BH como referência nacional e internacional em negócios e entretenimento”, concluiu.

Leia também:
Expectativa é a de que vacinação contra a Covid-19 em BH comece em 42 dias
Zema e secretário de saúde se reúnem com Bolsonaro no lançamento do Plano de Vacinação da Covid-19