A Prefeitura de Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, anunciou novas medidas restritivas para tentar conter o avanço da Covid-19 na cidade. Um decreto, que volta a restringir o funcionamento de diversas atividades comerciais, transporte público e igrejas, além de ampliar a fiscalização da Guarda Municipal, foi publicado no Diário Oficial do município na segunda-feira (14).

O documento, que considera um aumento no registro de casos de contágio na cidade, além de um “relaxamento” por meio da população, limita a presença de público em eventos e reuniões a serem realizados no município, sendo em locais fechados ou abertos, com abertura para até 50% da capacidade do espaço, com o máximo de uma pessoa a cada 10m² para ambientes fechados e uma pessoa a cada 4 m² para ambientes abertos, respeitando o máximo de 100 pessoas.

No caso das igrejas, a ocupação máxima deve respeitar 30% da capacidade do espaço, com celebrações que não ultrapassem 60 minutos de duração, com um intervalo mínimo de uma hora entre os eventos para higienização do local.

Os estabelecimentos que não cumprirem as determinações previstas serão notificados por equipes da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, bem como pela Guarda Civil Municipal, com a respectiva lavratura do Auto de Infração. "No primeiro pico da pandemia, tomamos todas as medidas preventivas. Agora que iniciamos o segundo pico, voltamos a tomar medidas para conter a disseminação do vírus. Observamos que parte da população relaxou nos cuidados com a higiene. A prefeitura está fazendo sua parte e pede que a população também faça a dela, usando máscara, higienizando as mãos e evitando aglomerações, para que não só o comércio, mas também os profissionais da saúde e os próprios pacientes não paguem por isso", afirmou o prefeito da cidade, através de uma publicação nas redes sociais, Duílio de Castro.

Transporte público

Em relação ao transporte público, o decreto determina que os veículos devem ser sinalizados com a capacidade de ocupação e com os locais de posicionamento preferencial dos passageiros, observando o número limitado de passageiros em pé, variando de acordo com o tipo de veículo, sendo máximo de dez passageiros em pé para o ônibus convencional e máximo de seis passageiros em pé para o micro-ônibus.

Restrições para bares, restaurantes e academias

No caso de bares e restaurantes, há suspensão de apresentação de música ao vivo. Entre outras medidas, só será permitido o consumo em mesas, respeitando a distância mínima de dois metros, não sendo permitida a permanência no estabelecimento de clientes em pé. Os estabelecimentos deverão fornecer copos descartáveis aos clientes e funcionários.

Academias, clubes e locais com demais atividades esportivas devem respeitar o limite de uma pessoa a cada 10m², com obrigatoriedade de horário agendado. Os alunos devem ter a temperatura medida e os estabelecimentos devem ser fechados a cada duas horas para limpeza completa.

Clínicas de estética, salões de beleza e barbearias não podem permitir a entrada de pessoas do grupo de risco, além de realizarem atendimentos com horário agendado, respeitando um intervalo mínimo de 30 minutos entre as pessoas, para higienização e desinfecção dos equipamentos e das mãos dos colaboradores.

Pandemia da Covid-19 na cidade

De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado nesta terça-feira (15) na cidade, Sete Lagoas conta com 4.626 casos confirmados desde o início da pandemia. São 74 óbitos registrados, sendo três na segunda-feira.  

Segundo a prefeitura, 1.668 pessoas estão em monitoramento no município. Quinze pessoas estão hospitalizadas e 106 em isolamento domiciliar. 

Leia mais:
Decreto municipal proíbe eventos que reúnam mais de 100 pessoas em Betim
Zema critica promessa de vacina contra Covid antes da liberação nacional: 'ninguém tem ainda'
PBH estima 200 mil doses de vacina contra Covid para imunizar profissionais de saúde da capital