Com uma curva ascendente de novos casos de Covid-19 em Belo Horizonte nas últimas três semanas, o infectologista Unaí Tupinambás, membro do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da PBH, diz que o cenário na capital mineira é preocupante para as festas de fim de ano que se aproximam. 

De acordo com o médico, são vários os fatores que podem deixar a situação ainda mais complexa nas próximas semanas. “Fim de ano, as pessoas estão cansadas, os trabalhadores de saúde vão entrar de férias”, explica.

Outra preocupação, segundo ele, é que as pessoas com doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e hipertensão, não fizeram o controle correto dessas doenças ao longo do ano, tiveram os índices desestabilizados e estão demandando internação nos hospitais, tanto da rede pública como da rede suplementar.

A ocupação de leitos do SUS está em torno de 60%, segundo Unaí Tupinambás, uma situação sob controle ainda, mas o infectologista alerta que a rede suplementar de saúde está mais impactada neste momento, com vários hospitais com ocupação máxima dos leitos.

O infectologista diz ainda que a situação pode piorar por conta das festas de ano e sugere que elas sejam realizadas com um número limitado de, no máximo, 10 pessoas e em locais mais arejados, como varanda ou quintal. Para ele, é fundamental que a população se conscientize e coopere neste momento.

Assista a entrevista na íntegra: