Bandidos têm se passado por funcionários da Cemig para enganar e extorquir dinheiro dos clientes. O crescimento no número de golpes durante a pandemia de Covid-19, principalmente por meio da internet, obrigou a estatal a alertar a população sobre a ação de estelionatários. Um comunicado foi divulgado no site da empresa.

Os golpes são praticados por telefone, aplicativos de mensagem e até mesmo na residência do consumidor. Na maioria dos casos, os criminosos cobram uma suposta dívida, utilizando, inclusive, o nome da Justiça Federal e outros órgãos para tentar legitimar o delito.

Conforme a companhia, somente profissionais devidamente identificados da empresa Cheque Nobre Recuperação de Ativos Financeiro estão autorizados a representar a Cemig para cobrar os débitos. As negociações podem ocorrer por SMS, e-mail, WhatsApp e telefone.

“A Cemig esclarece que a realização da cobrança é feita por meio de empresa credenciada e que a Companhia não se utiliza dos meios de depósito/transferência para recebimento de valores devidos”, informa o comunicado.

Pelo WhatsApp

Além da falsa cobrança, em muitos casos o farsante utiliza o WhatsApp para atacar. O cliente recebe uma mensagem informando que recebeu um desconto na conta de luz. Logo depois, recebe outra dizendo que o boleto está disponível e que ele pode fazer o pagamento clicando em determinado link. Porém, nessas situações, o dinheiro é repassado diretamente aos bandidos.

A Cemig informou que nenhum profissional tem autorização para entrar na residência; se o padrão de energia ficar dentro do terreno, o prestador de serviço deve apresentar crachá e estar de uniforme

Outra situação envolve o furto em residência. O estelionatário vai até a casa da pessoa, novamente se passando por funcionário da Cemig, pedindo para entrar, com a justificativa de verificar a rede elétrica. Dentro do imóvel, aproveita da situação para tomar celulares e outros objetos.

A Cemig informou que só em situações em que o medidor se encontra dentro da propriedade é que o funcionário pode entrar e ir até o local do padrão, mas nunca no interior da casa. Mesmo assim, tem que estar com crachá e uniformizado.

Além disso:

O Hoje em Dia tem mostrado, em várias situações, como a ousadia da bandidagem cresceu durante a pandemia. Com o isolamento, muitos moradores passaram a usar mais a internet. 

Desconfie de ofertas imperdíveis, com preços bem abaixo do que é praticado no mercado. Costumam ser iscas dos estelionatários para obter dados pessoais que serão usados em fraudes. Mensagens pelo celular e e-mails com links suspeitos são artimanhas dos farsantes.

As forças de segurança orientam sempre desconfiar. É preciso checar as informações, nunca informar dados pessoais e jamais efetuar depósitos sem antes verificar a veracidade. Denúncias podem der feitas pelo Disque 181.

Previna-se

Fique atento ao confirmar dados, sobretudo quanto ao número da instalação e qual cobrança motivou o contato;
Confira o documento recebido para pagamento. Se identificar erros gramaticais, rasuras, formatação fora do padrão, e se não for possível a leitura do código de barras, desconfie;
Ligue imediatamente para o “Fale com a Cemig”, por meio do número 116, para verificação da autenticidade do contato;
Consulta de valor pendente pode ser feita por WhatsApp (31-3506-1160), Telegram (@cemigbot), SMS para o número 29810 e pelo App Cemig Atende e Agência Virtual