O número de envolvidos no acidente ocorrido na última sexta-feira (4), na BR-381, em João Monlevade, na região Central de Minas, foi corrigido para 48. A informação foi repassada pela Defesa Civil estadual na noite de domingo (6). Inicialmente os números apontavam para 45 pessoas. Segundo informações do órgão, algumas crianças viajam no colo e não constavam na primeira listagem de vítimas.

Até o momento, 11 pessoas seguem hospitalizadas. Oito delas permanecem no Hospital Margarida, de Monlevade. Outras três vítimas do acidente estão internadas em Belo Horizonte, duas no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII e uma no Hospital Paulo II.

São 19 óbitos no total. Quatorze pessoas já receberam alta médica e três não precisaram de atendimento. O motorista ainda não foi localizado.  

Translado

Todas as 19 pessoas que morreram no acidente já foram identificadas pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) e estão à disposição das famílias para os procedimentos funerários. De acordo com informações divulgadas pela PCMG, um corpo já foi retirado pela família com destino a Alagoas. Quatro corpos devem seguir para São Paulo, via terrestre, sob os cuidados da Policia Cientifica daquele Estado.

Os outros corpos serão levados para o Estado de Alagoas por meio de um avião C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB). O avião sairá com as urnas às 12h desta segunda-feira (7), do aeroporto da Pampulha, de acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais. Uma outra aeronave da FAB, C-99, irá fazer o transporte para algumas vítimas que sobreviveram ao acidente e seus parentes.

Anda segundo Flávio Godinho, os corpos serão escoltados pela Polícia Militar, da funerária ao aeroporto, por volta das 11h.

A empresa

Representantes da empresa responsável pelo transporte dos passageiros estiveram no Instituto Médico-Legal na tarde de sábado (5). Segundo a PCMG, eles ainda serão intimados formalmente para prestar depoimentos no decorrer no inquérito policial. A instituição afirmou também que o motorista do ônibus ainda não foi localizado.

A empresa de turismo Localima emitiu uma nota à imprensa em que se diz chocada com o acidente. “Somos pessoas honestas e trabalhadoras e gostaríamos de informar que existe um contrato vigente até outubro de 2021 com a empresa JS Turismo, que todas as passagens e bagagens são retiradas e etiquetadas pelos blocos que são fornecidos pela empresa JS Turismo e que todos os meses são pagos os valores estipulados por eles pra essa prestação de serviço, inclusive o pagamento de seguro, conforme os comprovantes dos últimos dois meses e outros documentos que serão apresentados em juízo”, afirma.

Tragédia

No início da tarde da última sexta-feira (4), um ônibus de turismo que seguia de Alagoas para São Paulo caiu de uma ponte enquanto passava por João Monlevade, em Minas. Doze pessoas morreram no local. Ao passar por um viaduto no km 350 da BR-381, local conhecido como Ponte Torta, o veículo perdeu tração, iniciou um movimento de ré e começou a descer, já que a pista possui inclinação de quatro graus. 

Sem controle, o ônibus invadiu a pista da esquerda, bateu na mureta da ponte e caiu. O primeiro impacto ocorreu a 26 metros do chão, quando a parte traseira tocou a ribanceira. Depois, o veículo girou e bateu com a parte frontal nos trilhos da Estrada de Ferro Vitória-Minas, da Vale, a 34,5 metros da ponte, e se incendiou.

Antes da queda, seis pessoas, entre elas o motorista, conseguiram saltar do ônibus e se salvarem. As causas do acidente, porém, não foram confirmadas pela Polícia Civil. Laudos técnicos da perícia serão necessários para indicar os motivos da ocorrência.

Leia mais:
Polícia Civil identifica todos corpos das vítimas de acidente em Monlevade; voo da FAB é agendado
Acidente na BR-381: 13 corpos já foram identificados; 15 vítimas seguem internadas
Morre mais uma vítima do acidente na BR-381, em João Monlevade, e óbitos chegam a 19