Ótima remuneração, uma gama de atuação, mais qualidade de vida e estabilidade profissional. Esses são alguns dos atrativos da especialização em Medicina do Trabalho, formação que ganhou ainda mais relevância com a pandemia de Covid-19. 

"O médico do trabalho tornou-se parte essencial na manutenção e no retorno ao serviço para as empresas. Isso trouxe uma enorme valorização para a especialidade", explicou Rose Copelman, professora adjunta da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e mestre em Saúde Pública pela Fiocruz.

Rose é um dos nomes mais fortes da área no país. Ela é a idealizadora e coordenadora da pós-graduação em Medicina do Trabalho, curso com 30 anos de tradição e que já formou mais de mil alunos nesse período no Rio.

Agora, a especialização se uniu à Funorte, maior centro universitário do Norte de Minas, com 60 unidades espalhadas pelo Brasil e reconhecimento com nota 5 no Ministério da Educação (MEC), para uma versão on-line do curso.

Pela primeira vez, a carga de 1.920 horas será dividida em dois semestres de aulas teóricas on-line, e outros dois de aulas práticas em empresas localizadas na cidade onde o aluno reside.

As inscrições para as turmas que iniciam em dezembro e em março estão abertas e podem ser feitas no site https://www.posmedtrab.com.br/.

Como explica Aroldo Rodrigues, gestor da rede Funorte Pós, a experiência virtual será diferente do Ensino a Distância (EAD), geralmente composto por aulas gravadas. "Nesse formato, nossas aulas são todas ao vivo. É diferente do EAD. É uma aula remota, onde os alunos podem interagir e tirar dúvidas", explicou.

Rodrigues reforça que a Funorte é parceira do Google for Education, o que permite uma qualidade ímpar na realização de transmissões on-line e no acesso aos recursos mais modernos da empresa de tecnologia para a educação. 

Funorte

Clique na imagem para ampliá-la

Corpo docente

Outra vantagem que o ensino híbrido tornou possível é a composição do corpo docente, já que o formato virtual permite a participação de professores que moram em cidades distantes. "Era presencial no Rio e a pandemia mudou a cara do curso, permitindo a presença de outros especialistas", explicou Rose Copelman.

Aulas práticas

Conforme Rose, a parte prática, que consta do segundo ano do curso, pode ser realizada no município do aluno. "Então, se você mora no interior de Minas ou qualquer outra cidade do país, o estágio será nela ou na mais próxima".

Além disso, também estão programadas duas visitas técnicas virtuais em fábricas de excelência na área de Saúde e Segurança do Trabalho, acompanhadas pelos médicos do trabalho das fábricas. 

"São dois anos de aulas teóricas e práticas para o aluno sair com a formação completa que lhe permite exercer a especialidade com segurança e conhecimento", declarou a professora 

Área essencial

De acordo com a coordenadora do curso, a especialização em Medicina do Trabalho está em franca expansão no país, possibilitando "qualidade de vida e estabilidade profissional".

Segundo ela, o médico do trabalho pode atuar em diversas frentes, como a rede pública de serviços de saúde, empresas, consultoria, instituições de pesquisa e junto ao sistema judiciário, como perito em processos trabalhistas, ações cíveis e da promotoria pública.

Parceria com a Funorte

Copelman também avaliou positivamente a parceria com a Funorte. "É uma faculdade que tem um nome muito forte no mercado. A estrutura é excelente e me dá um apoio muito bom. É uma faculdade de formação de excelência", disse.

A Funorte tem conceito 5 no Ministério da Educação. Ao todo, a instituição tem mais de 60 unidades espalhadas pelo Brasil

Inscrições e turmas

As inscrições para as turmas da especialização em Medicina do Trabalho estão abertas. As aulas serão às segundas-feiras, das 18h às 22h, com início em 7 de dezembro. 

Além dessa turma, haverá nova formação em março. Além do site https://www.posmedtrab.com.br/ também é possível obter mais informações pelo telefone (21) 2548-0648.