As escolas municipais de Belo Horizonte têm até o dia 30 de novembro para criar Comissões Escolares de Retorno às Atividades Letivas. As comissões irão verificar o processo de adequação e adaptação aos protocolos sanitários nas unidades educacionais para a volta presencial das aulas, mesmo que ainda não haja uma previsão.

Cada escola terá uma comissão composta por um representante do Programa Saúde na Escola, indicado pela Diretoria Regional de Saúde, um coordenador pedagógico geral, o diretor e vice-diretor da escola, dois servidores municipais por turno de funcionamento, representantes voluntários de pais ou responsáveis e da comunidade escolar.

Cada escola deverá divulgar à comunidade qual é a composição da comissão até o dia 30 de novembro. As reuniões poderão ser remotas ou acontecer presencialmente, se houver permissão das autoridades de saúde do Município. O primeiro encontro deverá realizado até dia 23 de dezembro de 2020.

De acordo com portaria publicada nesta quarta-feira (18) no Diário Oficial do Município (DOM), as comissões também deverão zelar pela manutenção das condições adequadas para que os servidores possam exercer presencialmente suas atribuições, e acompanhar os procedimentos referentes à adequação dos espaços e ao uso das salas de trabalho e de estudos individuais por professores.

A Prefeitura de Belo Horizonte afirmou ter investido R$ 14 milhões na estrutura para o cumprimento dos protocolos que vão garantir a segurança dos alunos no retorno às aulas presenciais. 

Localizado na região Centro-Sul, o Imaco já foi todo adaptado e serve como referência para as mudanças que serão feitas em todas as unidades escolares municipais (ensino infantil ou fundamental). Veja como ficou o colégio após as adaptações: