As eleições municipais em Minas serão monitoradas por 15 drones da Polícia Federal (PF). O foco será a prevenção e repressão a crimes como boca de urna e transporte irregular de eleitores. 

Conforme a corporação, no Estado os equipamentos serão utilizados em Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba, Varginha, Divinópolis, Montes Claros, Governador Valadares e Juiz de Fora.

Ao todo, cem equipamentos serão utilizados no país. As aeronaves, controladas de forma remota, possuem câmeras com tecnologia de ponta, capazes de identificar suspeitos, placas de veículos, distribuição de santinhos e situações de compra de votos.

"As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe que estará preparada para monitorar todas as eleições e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas. Assim, diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão, imediatamente, para o local indicado para prender os suspeitos, que serão conduzidos para a delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes", explicou o delegado da Polícia Federal, Daniel Fantini.

Segundo ele, cada aeronave terá uma equipe de quatro agentes. "Com isso, a instituição mostra que está preparada para combater os crimes eleitorais, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer o seu direito de sufrágio dentro da legalidade", enfatizou o delegado.

Estreia

Essa será a primeira vez que a PF irá utilizar drones de fiscalização em uma eleição. Conforme Fantini, além da situação de pandemia em que vivemos, o uso dos equipamentos reduzem a presença física dos policiais e o contato social com não envolvidos em situação criminosa. 

"Diante do cenário de medidas de distanciamento social, a medida se torna extremamente relevante no contexto, possibilitando deslocamentos de equipes e atuação rápida.