Belo Horizonte chegou nesta segunda-feira (5) a 43.304 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia. Ao todo, 1.288 pessoas morreram com a doença na capital. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, são 11 a mais que no boletim anterior, divulgado na última sexta (2).

Ainda segundo o levantamento, 2.484 casos são acompanhados e 39.532 pessoas se recuperaram após serem infectadas pelo novo coronavírus.

Já a velocidade de transmissão da doença voltou a crescer na capital. O índice saiu da zona verde na última sexta-feira (0,94%), e passou para a amarela nesta segunda, atingindo o patamar de 1,02%.  Isso indica uma interrupção na queda dos casos. Mas, conforme a prefeitura, ainda há estabilidade nos números.

"A elevação de Rt para valores que oscilam em torno de 1,00 é fruto da maior exposição das pessoas, com a redução do isolamento social. Nesse sentido, a manutenção de valores próximos ou abaixo de 1,00 depende do cumprimento rigoroso dos protocolos colocados pela Prefeitura de Belo Horizonte, bem como conjugados com os cuidados individuais, como uso de máscaras, higienização frequente das mãos e, sempre que possível, distanciamento social", informou a PBH.

Os outros dois indicadores de monitoramento seguem em níveis controlados, abaixo dos 50%. No caso da terapia intensiva, a taxa subiu de 37,9% para 39,9%, no comparativo entre os dois últimos balanços. Nas enfermarias ocorreu o contrário e a taxa passou de 35,4% para 33,7%.

A preocupação da PBH neste momento é que indicador permaneça durante muito tempo acima de 1,00%, ou mesmo num valor crítico, acima de 1,20%, o que provocaria um crescimento no número de casos mais graves e, consequentemente, sobrecarregar o sistema de saúde.

"Os indicadores permanecem em monitoramento constante. Qualquer agravamento que comprometa a capacidade de atendimento será tratado da forma devida, com o objetivo de preservar vidas. No entanto, não há elementos que indiquem que essa situação está próxima".