O cantor Eduardo Costa faltou a uma audiência de conciliação em Belo Horizonte. O encontro na Justiça estava marcado para a semana passada, mas o sertanejo justificou a ausência alegando estar em um barco encalhado no Pantanal. Na ocasião, seria discutido o andamento de um processo por danos morais relativos à compra de uma casa em Contagem, na região metropolitana.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), essa é a segunda audiência consecutiva que o músico não comparece. Com mais essa ausência, a data foi remarcada para 12 de julho de 2021.

Como trata-se de uma audiência de conciliação, a Justiça não fixou penalidade pelo não comparecimento do artista. A reportagem entrou em contato com os representantes do músico, mas até o momento não obteve retorno.

Nas redes sociais, Eduardo Costa relatou que estava em Corumbá para a gravação do novo DVD quando teve o barco encalhado. 

Justiça

Além dessa ação em Contagem, o músico também enfrenta outras batalhas na Justiça. Ele é investigado por estelionato por causa de uma transação imobiliária. Segundo a investigação, o sertanejo teria negociado com um casal, em 2015, a troca de um imóvel de sua propriedade em Escarpas do Lago, na cidade de Capitólio, no valor aproximado de R$ 6 milhões, por outro na Pampulha, em BH, que era do casal, cujo valor seria de R$ 9 milhões.

O problema, conforme o casal, é que o cantor não teria informado na negociação que o imóvel de Furnas estaria com embargos ambientais por ter parte construída sob área de proteção ambiental.  O cantor também foi denunciado por manter aves silvestres em cativeiro em uma fazenda.