Ato capaz de salvar diversas vidas, a doação de órgãos foi lembrada pelo governo de Minas, em coletiva de imprensa na Cidade Administrativa, na tarde desta segunda-feira (28). Nesse domingo (27), foi comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos.

"É um ato que não é simples, pois é um momento de dor, de alguém que está perdendo um ente, mas é importantíssimo. Um doador pode, efetivamente, doar órgãos para várias pessoas", afirmou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.

De acordo com o chefe da SES-MG, 92% do total de órgãos doados no Brasil estão vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Amaral declarou que o procedimento é seguro, feito com o acompanhamento da Fhemig e com diagnóstico "muito sério".

"O diagnóstico, que é uma coisa que as pessoas ficam inseguras, vinculado àquela pessoa ser uma doadora de órgãos, é feito no hospital, convalidado e acompanhado de perto por todo o grupo do MG Transplantes. Ou seja, é um diagnóstico que é, efetivamente, muito sério, muito confirmatório. Então, a família pode ter certeza que não há dúvida e que, podendo doar órgãos, vai ajudar muitas pessoas", disse.

Abaixo, você confere um tira-dúvidas feito pelo Ministério da Saúde:

Transplante de órgãos e tecidos

O que é?

O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um órgão (coração, pulmão, rim, pâncreas, fígado) ou tecido (medula óssea, ossos, córneas) de uma pessoa doente (receptor), por outro órgão ou tecido normal de um doador vivo ou morto.

Como é a Lei de Transplantes?

A legislação em vigor determina que a família será a responsável pela decisão final, não tendo mais valor a informação de doador ou não doador de órgãos, registrada no documento de identidade.

Doador Vivo

A pessoa maior de idade e capaz juridicamente pode doar órgãos a seus familiares. No caso de doador vivo não aparentado é exigida autorização judicial prévia.

Quais órgãos/tecidos podem ser obtidos de um doador vivo?

Um dos rins, parte do fígado, parte da medula e parte dos pulmões.

Quem pode doar em vida?

O médico deverá avaliar a história clínica da pessoa e as doenças prévias. A compatibilidade sanguínea é primordial em todos os casos. Há também testes especiais para selecionar o doador que apresenta maior chance de sucesso.

Quais os órgãos/tecidos podem ser obtidos de um doador não vivo?

Órgãos: rins, coração, pulmão, pâncreas, fígado e intestino.
Tecidos: córneas, válvulas, ossos, músculos, tendões, pele, veias e artérias.

Quem recebe os órgãos/tecidos doados?

Após efetivada a doação, a Central de Transplantes do Estado é comunicada e através do seu registro de lista de espera seleciona seus receptores mais compatíveis.

Quem é o potencial doador não vivo?

São pacientes assistidos em UTI com quadro de morte encefálica, ou seja, morte das células do Sistema Nervoso Central, que determina a interrupção da irrigação sangüínea ao cérebro, incompatível com a vida, irreversível e definitivo.