Um surto de Covid-19 foi registrado dentro do Centro de Remanejamento Prisional (Ceresp) de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a prefeitura, entre agosto e setembro, foram confirmados 36 casos da doença, sendo 17 detentos e 19 profissionais de segurança pública. O último caso foi confirmado há uma semana.

O Ceresp Betim é uma das 30 unidades prisionais de Minas Gerais selecionadas para atuar como porta de entrada para o sistema prisional. Ou seja, todas pessoas presas desde março devem passar por um período de quarentena de 15 dias nesses locais antes de passar por uma transferência, para evitar a transmissão do novo coronavírus entre os custodiados.

Para conter o surto, houve reforço na realização de testes no local e os funcionários do Ceresp foram orientados a manter o distanciamento e as medidas de higiene necessárias, além de procurar atendimento nas unidades de saúde do SUS-Betim, caso apresentem algum sintoma.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), não confirmou o surto e afirmou que, neste momento, nenhum detento do Ceresp Betim está com a doença. Um servidor está afastado desde terça-feira (22), ainda aguardando resultado de exame, de acordo com a pasta.

No Estado, atualmente, há 56 pessoas sob a custódia do sistema prisional com diagnóstico positivo para a Covid-19, em um universo de 60 mil custodiados, de acordo com a Sejusp. Um deles está cumprindo prisão domiciliar, dois estão internados e 53 cumprem quarentena dentro dos presídios. “As alas em que se encontram foram isoladas, desinfectadas, e todos servidores e demais detentos dos locais usam máscaras de forma preventiva”, diz a Sejusp. Sete detentos já morreram de Covid em Minas.