As macrorregiões de saúde Centro-Sul, Oeste e Triângulo do Sul retrocederam da onda verde (mais ampla) para a onda amarela (intermediária) do Minas Consciente, programa estadual de retomada da atividade econômica. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (24) pelo governo de Minas.

O Minas Consciente é dividido em três ondas, sendo a vermelha a mais restritiva (onde apenas serviços essenciais podem funcionar), a amarela é intermediária e a verde é o nível hierárquico que permite a abertura de mais estabelecimentos.

Com isso, esses agrupamentos de municípios que passaram pelo retrocesso de flexibilização terão que fechar estabelecimentos que ofereçam serviços não essenciais com alto risco de contágio, como bares com música ao vivo, feiras, parques e cinemas, a partir deste sábado (26).

Como migraram para a onda amarela, continuarão a funcionar bares com consumo no local (mas sem música ao vivo), além de autoescolas, salões de beleza e comércios de roupas e calçados.

Avanço

Já a macrorregião Nordeste avançou da onda vermelha para a onda amarela. A região era a única no Estado ainda no nível mais restritivo do plano de flexibilização. A situação foi comemorada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

"Foi uma região que ficou por muito tempo na onda vermelha e foi feito um trabalho profundo de ampliação de leitos, de conscientização. Quando a sociedade local entende todas as premissas que devem ser observadas, e todos os procedimentos previstos no protocolo de saúde são respeitados, isso se reflete nos indicadores e no avanço de ondas. Ficamos muito felizes", declarou Passalio.

Apesar de ter havido três retrocessos e apenas um avanço de ondas, o gestor afirmou que o quadro geral em Minas é de estabilidade em relação ao Minas Consciente. Conforme Passalio, o Estado deve celebrar o fato de que não há nenhuma macrorregião na onda vermelha.

"Todas as macrorregiões, com exceção da Norte, estão na onda amarela, e a Norte, na verde. Isso significa, na prática, que todas as macrorregiões do Estado possuem, no mínimo, a autorização para que a maior parte dos segmentos não essenciais possam funcionar", disse.

Ao todo, segundo Passalio, Minas tem 648 municípios aderidos ao Minas Consciente, o que representa 76% do Estado. O programa impacta cerca de 14,2 milhões de habitantes em Minas.

Shoppings

Por fim, o secretário de Desenvolvimento Econômico informou que os shoppings centers localizados em cidades que aderiram ao Minas Consciente poderão ampliar o horário de funcionamento. 

Com a mudança, esses estabelecimentos poderão funcionar de segunda a sexta, das 11h às 22h, e nos fins de semana, das 10h às 22h. Para o gestor, a ampliação ajudará a combater as aglomerações.

"Entendemos que o aumento do horário de funcionamento é fundamental para que haja uma maior distribuição do público. Distribuindo melhor, nós temos diminuição da aglomeração", afirmou.

De acordo com o governo de Minas, as atividades comerciais que podem abrir dentro dos shoppings devem estar em conformidade com a onda do Minas Consciente em que o município está posicionado. Dessa forma, os shoppings em cidades que estão na onda vermelha só poderão abrir lojas de serviços essenciais.