Aquele monte de gente espremida nas barracas para conferir os artesanatos não será mais permitido na Feira Hippie. Provar quitandas ou tomar cerveja e comer pastel em pé ao longo da avenida Afonso Pena também são atitudes proibidas. A nova realidade das feiras de Belo Horizonte será bem diferente do que era habitual.

Nesta quinta-feira (24), a prefeitura publicou as normas que devem ser seguidas tanto pelos artesãos quanto pelos frequentadores do espaço. Por causa da pandemia, a mostra estava suspensa desde março. Ela reabrirá neste fim de semana, mas com novas regras para barrar a transmissão do novo coronavírus.

Além da ampliação do espaço da feira, que ocupará até a Praça 7, os visitantes terão que se adaptar a outras medidas. Nenhuma barraca poderá ter provador. Música ao vivo, dança, apresentações teatrais e outras atividades de entretenimento que possam causar aglomeração também estão vedadas.

Na área de alimentação, serão permitidas apenas pessoas que estejam sentadas e, no máximo, quatro ocupantes por mesa. A mobília deverá ser higienizada após a saída de cada usuário.

Segundo a prefeitura, na Feira da Afonso Pena, estão cadastrados 1.769 expositores de produtos, 132 de alimentação e 35 de arte. Ainda não é possível saber quantos feirantes vão preferir não trabalhar na feira. Caso algum decida não ir, ele não será penalizado. 

Além da Feira Hippie, a prefeitura também permitiu a volta das feiras de flores e de comidas, comidas e antiguidades, ambas na avenida Carandaí.

Novo layout

Enquanto permanecer o estado de enfrentamento à pandemia de Covid-19, a Feira da Afonso Pena será realizada no trecho compreendido entre a Praça Sete (no quarteirão entre a Rua Carijós e Rua Rio de Janeiro) até a Rua dos Guajajaras. 

A exceção fica para os feirantes que comercializam alimentos. O setor de Apoio Alimentação ficará disposto na rua Espírito Santo (no trecho compreendido entre a avenida Afonso Pena e rua dos Carijós) e na avenida Álvares Cabral (no trecho compreendido entre a avenida Afonso Pena e rua Goiás).

Veja como ficará a Feira Hippie neste momento de enfrentamento à pandemia de Covid:

novo layout feira hippie

Segurança

Em todas, conforme a portaria, deverá ser respeitado o distanciamento de pelo menos dois metros. Os feirantes devem disponibilizar dispensadores com álcool 70% em cada barraca e a máscara será de uso obrigatório. 

"Recomenda-se que visitantes, feirantes e expositores pertencentes ao grupo de risco (acima de 60 anos, grávidas e portadores de doenças crônicas) não frequentem feiras", diz trecho da portaria.

Confira o protocolo para funcionamento das feiras:

- Em barracas ligadas, é recomendável, para segurança dos expositores, o uso de dispositivo de proteção de material resistente e de fácil higienização conforme normas sanitárias, para isolamento entre as barracas.
- Os feirantes devem disponibilizar dispensadores com álcool 70% em cada barraca e nos locais de alimentação.
- Uso obrigatório de máscara por todos os frequentadores, incluindo os feirantes, durante o período em que permanecerem na feira, exceto quando estiverem em momento de alimentação.
- Os feirantes deverão realizar a troca da máscara no máximo a cada quatro horas de trabalho, sempre que ela estiver úmida ou sempre que necessário.
- Feirantes em contato direto com o público deverão usar máscara e protetor facial.
- Higienizar frequentemente as mãos com álcool 70%.
- Higienizar as mãos dos visitantes a cada vez que eles forem requisitar uma mercadoria.
- Cobrir a máquina de pagamento com filme plástico, para facilitar a higienização após o uso.
- Equipamentos de proteção e máscaras não podem ser compartilhados.
- Os feirantes não podem comparecer em caso de constatação ou suspeita de ter contraído a covid-19, devendo se dirigir para atendimento em unidades de saúde.
- Cabe aos feirantes direcionar as filas e demarcar posições para evitar aglomerações, respeitando o distanciamento de 2m (dois metros) entre as pessoas.
- Vedado o uso de provadores.
- Vedadas atividades de entretenimento que possam causar aglomerações como música ao vivo, dança, apresentações teatrais, projeção de imagens e a permanência de pessoas que não estejam em atividades de compras na feira.

Regras para o setor de alimentação:

- Reforçar cuidados nas áreas de manipulação de alimentos: proibido todo ato que possa contaminar os alimentos, tais como comer, fumar, tossir, espirrar, se coçar ou tocar o nariz, orelhas ou boca, usar o celular ou realizar outros hábitos inseguros.
- Os funcionários devem higienizar as mãos antes da entrega dos alimentos e bebidas.
- Vedada a utilização de adornos pessoais, como anéis, pulseiras, gargantilhas, relógios, colares e brincos grandes, pelos profissionais que manipulam alimentos. Permitido o uso de brincos pequenos.
- Vedada a disposição de alimentos para degustação.
- Eliminar o menu físico (podem ser utilizados cartazes, painéis ou descartáveis). Não sendo possível, utilizar modelo plastificado que deve ser higienizado após cada uso.
- Oferecer guardanapos, talheres, pratos e copos descartáveis.
- Galheteiros, saleiros, açucareiros e outros dispensadores de temperos, molhos e afins ficam proibidos, sendo necessário prover sachês de uso individual.
- O consumo de alimentos no setor destinado a essa finalidade será permitido desde que as pessoas estejam sentadas nos locais destinados à alimentação, sendo vedado o consumo de alimentos e bebidas ao redor das barracas.
- Deve ser observado o distanciamento mínimo de 2m (dois metros) entre as mesas e 1m (um metro) entre ocupantes na mesma mesa.
- Máximo de quatro pessoas por mesa.
- As mesas e cadeiras deverão ser limpas e higienizadas após a troca de usuários.
- Espera e filas de pagamento devem assegurar o distanciamento de 2m (dois metros) entre as pessoas, com as devidas marcações.
- As barracas de alimentos deverão disponibilizar funcionários exclusivos para o caixa.
- Os alimentos devem chegar a feira pré-preparados, sendo apenas finalizados no local.
- O cliente deverá permanecer de máscara no local, retirando-a apenas para comer e/ou beber.
- Recomenda-se que visitantes, feirantes e expositores pertencentes ao grupo de risco (acima de 60 anos, grávidas e portadores de doenças crônicas) não frequentem feiras.
- Separar lixo com potencial risco de contaminação para descarte (como luvas, máscaras e EPIs) e descartar de forma apropriada.

(Com Cinthya Oliveira)