Supermercados de Belo Horizonte começaram a restringir nesta quinta-feira (10) a compra de pacotes de arroz por clientes com medo de desabastecimento. Pesquisa divulgada pelo site Mercado Mineiro mostrou que, na capital, entre abril e a primeira semana de setembro, o pacote de 5kg do produto passou, em média, de R$ 18,44 para R$ 26,92 no período: um salto de 45%.

Em nota, a Associação Mineira de Supermercados (AMIS) admitiu a situação e disse que a prática é legal e "visa a assegurar a todos os consumidores, especialmente os de menor renda, o acesso a esses itens básicos. No entanto, não se trata de uma orientação da entidade, mas de cada empresa de forma individual para melhor atender o cliente". Porém a entidade garante que “não há uma corrida” aos estabelecimentos para abastecimento de arroz. 

Ainda de acordo com a Amis, o aumento das exportações aliado à diminuição das importações de itens da cesta básica, motivado pela valorização do dólar frente ao real, somado ao crescimento da demanda, são os principais fatores que provocaram a redução da oferta no mercado interno.

Para tentar minimizar a situação e conter esses aumentos de preços, a entidade encaminhou nesta quinta-feira (10) ao governador Romeu Zema pedido para que haja redução da base de cálculo do óleo de cozinha adquirido fora de Minas. A medida visa permitir maior concorrência entre as indústrias e, logo, a redução do preço. 

Outra medida da Amis, juntamente com outras 26 associações estaduais do setor, é uma tentativa junto ao governo federal para a redução a zero, até o final deste ano, da taxa de importação do arroz anunciada nessa quarta-feira (9).