O bairro Lindeia, no Barreiro, continua a ser o mais atingido pela epidemia de Covid-19 em Belo Horizonte. De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta quarta-feira (12), foram registradas 16 mortes por causa do novo coronavírus neste bairro, que é o quarto maior da cidade em número de habitantes.

De acordo com o documento (que considera dados registrados até dia 7 de agosto), o bairro Lindeia registrou 74 casos confirmados de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por causa do novo coronavírus. Isso quer dizer que 21% dos casos confirmados no bairro evoluíram para o óbito.

Os outros bairros com maior número de mortes, segundo levantamento da prefeitura, são a Cabana do Pai Tomás, na região Oeste (com 14 óbitos); Mantiqueira, em Venda Nova (11); Serra, na região Centro-Sul (11); e Alto Vera Cruz, na região Leste (10).

O bairro com maior número de casos confirmados de Covid-19 continua sendo o Buritis, na região Oeste. Foram 111 registros de infectados pelo novo coronavírus e três casos evoluíram para o óbito. Com 28 mil habitantes, é o segundo maior bairro da capital mineira.

Os outros dois bairros mais populosos de Belo Horizonte, Sagrada Família (Leste) e Padre Eustáquio (Noroeste), registraram três e cinco mortes por Covid-19, respectivamente.

Com 105 mortes pela doença, Venda Nova é a regional com maior número de pessoas que perderam a vida por causa do novo coronavírus. Mas, as regiões da capital com maior número de infectados pela doença são Oeste, Leste, Nordeste e Barreiro.

Mortos e infectados

De acordo com o boletim, Belo Horizonte registrou 26.886 casos confirmados de Covid-19, sendo que 3.205 pacientes ainda são acompanhados. A cidade registrou 741 mortes até o momento. 

A taxa de ocupação dos leitos reservados para pacientes com Covid-19 continua caindo em BH. Entre as UTIs, 70,5% estão ocupadas, enquanto entre os leitos de enfermaria a taxa é de 49,1%. Os dados levam em conta as redes pública e privada.

Leia mais:
MPMG vai monitorar índices da Covid em BH para decidir se pede o fechamento do comércio na Justiça