Curvelo, João Monlevade, Itabira e Guanhães são alguns dos municípios na onda amarela que poderão reabrir estabelecimentos, como salões de beleza e lojas de vestuário, a partir deste sábado (8), mesmo estando em uma macrorregião da onda vermelha.

A autorização foi possível após a entrada em vigor do novo Minas Consciente, nesta quinta (6), programa estadual de orientação aos municípios para a retomada segura das atividades econômicas, que trouxe como uma das novidades a possibilidade de análise microrregional dos municípios.  

Anteriormente, o Minas Consciente dividia o Estado em 14 macrorregiões de saúde. Após a atualização do plano, o governo de Minas passou a subdividir as cidades, além das 14 macrorregiões, em 62 microrregiões em Minas.

Na prática, a reformulação permite que um município com indicadores melhores que a macrorregião que ele faz parte possa avançar ondas.

As ondas são níveis hierárquicos que estipulam quais estabelecimentos podem abrir em determinada localidade de acordo com os dados epidemiológicos da área. Elas são divididas em verde (menos restritiva), amarela (intermediária) e vermelha (somente comércios essenciais podem funcionar).

"Um dos ganhos que tivemos no programa foi a análise microrregional. Na macrorregião Centro, nós temos quatro microrregiões que podem avançar para a onda amarela, mesmo a macro Centro estando na onda vermelha", explicou o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

Segundo o gestor, para que a reabertura de mais estabelecimentos ocorra nesses casos é necessário que a cidade esteja em adesão ao Minas Consciente e, naturalmente, que o prefeito queira avançar ondas. 

Outra mudança da atualização do Minas Consciente, que foi reformulado no fim de julho, é a possibilidade de que mais de 360 pequenas cidades mineiras reabram o comércio não essencial a partir de sábado