A Prefeitura de Belo Horizonte chegou à marca de mais de um milhão de cestas básicas a famílias de estudantes da rede municipal e em vulnerabilidade econômica e social, que tiveram sua renda prejudicada pela pandemia.

A entrega das cestas básicas, bem como a de kits de higiene, terminaria em junho, mas foi prorrogada até agosto, atingindo mais de 270 mil famílias no mês de julho.

A totalidade de 1.018.876 cestas básicas corresponde, de acordo com a Prefeitura, a 19,3 mil toneladas de alimentos.

No início de cada mês, as famílias cadastradas acessam uma plataforma, retiram o voucher e recebem as informações sobre data e local para a retirada das cestas.

"Tanto a entrega de cestas e kits quanto o reforço na alimentação para a população vulnerável buscam dar condições àquelas famílias ou pessoas que tiveram acesso à renda prejudicado de fazer o isolamento social e se proteger da COVID-19, conforme a orientação do Prefeito Alexandre Kalil", salienta Maíra Colares, secretária municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania.

"Seguiremos com a ação em agosto, garantindo, de forma protetiva, a segurança alimentar no município", registra a secretária.

Nos Restaurantes Populares, foram mais de 589 mil de refeições, sendo 239 mil refeições gratuitas para a população em situação de rua. Outras 657 mil foram servidas em 92 unidades de acolhimento institucional, chegando a 393 toneladas de alimentos.