O pico da pandemia de Covid-19 em Minas Gerais, previsto para amanhã, deverá ser seguido por uma quantidade de infecções que se manterá em nível alto por mais dias. O prognóstico é da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), que espera um quadro de contágio em formato platô.

Tudo isso, porém, é projeção e precisa de acompanhamento, afirma o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Segundo ele, as previsões em Minas são baseadas na realidade de avanço da epidemia em outros estados e países, que não foi uniforme.

“Em alguns lugares, houve um pico, e, depois do aumento, uma queda mais abrupta. Em alguns outros, vimos um platô: há um aumento de casos e se mantém. Nós teremos um aumento, mas não provavelmente um pico muito grande. A gente deve ter um platô”, frisou o secretário, que informou ainda não ser possível precisar quanto tempo duraria esse efeito no Estado.

Quase 77 mil

O número de infectados pelo novo coronavírus em Minas está próximo de 77 mil. De acordo com a SES, 76.822 pacientes receberam o diagnóstico positivo da Covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 971 confirmações da doença.

Os registros de óbitos também avançam. Até ontem, 1.615 pessoas haviam morrido. São 39 mortes a mais em relação a domingo (12). O coronavírus, conforme o boletim epidemiológico, já fez vítimas em 757 municípios. Óbitos foram notificados em 305 cidades.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, o crescimento previsto para esta semana será reflexo do engajamento da população às medidas de isolamento nos últimos 14 dias. 

Como forma de reagir à subida de casos e ter um controle maior da epidemia, o secretário relembrou que o Estado tem ampliado o número de leitos e distribuído equipamentos aos municípios mineiros desde o início da pandemia. 

O balanço ainda traz a quantidade de pessoas que precisaram ser hospitalizadas por causa do novo coronavírus. Desde o início da pandemia, em março, 8.849 mineiros tiveram que ser internados em unidades de saúde. 

Hospital de Campanha

Entrou em funcionamento ontem o primeiro e único Hospital de Campanha do Estado. A estrutura foi erguida no Expominas, em Belo Horizonte, em abril deste ano. Inicialmente, o complexo atua com capacidade para receber 30 vítimas que não estão com quadro de saúde grave. 

Leia também:
BH começa a multar hoje quem sair às ruas sem máscara
Prefeitura de Lagoa Santa determina medidas mais severas para funcionamento do comércio na cidade
Polícia recupera carga de respiradores roubada em Ribeirão das Neves