Uma policial civil foi detida, na madrugada desta quarta-feira (8), depois de invadir uma hospital em Belo Horizonte para ver o corpo do irmão, que morreu de Covid-19 na noite de terça-feira (7). Após invadir o Hospital da Baleia armada, a policial foi levada a uma delegacia por policiais militares e assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por constrangimento ilegal.

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, o homem de 45 anos deu entrada na UPA Leste com suspeita de Covid-19 no dia 20 de junho  e depois transferido para o Hospital da Baleia. Ele foi admitido com dispneia, mialgia, tosse e febre. O resultado positivo para o novo coronavírus saiu no dia 24.

No dia 25, o homem teve de ser transferido para um leito de terapia intensiva devido a um quadro de insuficiência respiratória. Ele morreu às 23h12 de terça-feira e a família foi comunicada imediatamente. Em casos de mortes de pessoas com Covid-19, o caixão fica lacrado e não é possível realizar velório.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) confirmou, por meio de nota, que a policial queria ver o corpo do irmão. Ela assinou um TCO na Delegacia de Plantão 1 e deverá comparecer a uma audiência junto ao Poder Judiciário.

“A PCMG ressalta que não compactua com esse tipo de ação e irá instaurar uma sindicância administrativa para apuração de eventuais infrações disciplinares. Informa, ainda, que a investigadora será encaminhada para avaliação psiquiátrica”, afirmou a instituição por meio de nota.