Uma empresa de Belo Horizonte foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar R$ 15 mil a um ex-empregado por ter permitido que o trabalhador fosse chamado de "Idi" pelos colegas. O apelido fazia referência ao gorila Idi Amin, que foi o animal mais famoso do Zoológico de Belo Horizonte até a sua morte, em 2012. A decisão é da segunda instância.

No processo, a empresa afirmou que o ex-empregado nunca se mostrou incomodado com o tratamento dos colegas e que a atribuição de apelidos aos empregados era normal no ambiente de trabalho, tratando-se de brincadeira, sem o intuito de ofender. 

Mas para o desembargador Marcus Moura Ferreira, relator do processo no Tribunal Regional do Trabalho, essa foi uma prova de que a empresa era negligente com a situação preconceituosa e humilhante. Para o magistrado, houve uma omissão deliberada da empresa em garantir um ambiente de trabalho saudável para os seus empregados.

“Ainda que, no decorrer do contrato de trabalho, ele tenha se acostumado com o fato (provavelmente, por se sentir incapaz de reverter uma situação já instalada e banalizada pelos colegas), não há dúvidas de que ele se incomodava e de que a atribuição do apelido 'Idi Amim', em referência ao gorila que vivia no zoológico desta capital, é extremamente preconceituosa, expondo o trabalhador a situação, no mínimo, constrangedora e humilhante”, afirmou o desembargador.