Com 7.904 doentes e 176 mortes registradas por Covid-19 só em Belo Horizonte, o Estado informou, nesta segunda-feira (6), que o Hospital de Campanha do Expominas, na região Oeste da cidade, deve ser aberto antes do dia 15 de julho, data prevista da chegada ao pico de casos da doença em MinasO centro médico não tem leitos de UTI.

Segundo o governo de Minas, a rede da Fhemig ainda conta com duas mil vagas ociosas no Estado, que servirão, em caso de necessidade, para atendimento a pacientes em tratamento pela Covid-19. O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, confirmou que a previsão para o pico segue mantida para o dia 15. "Reforço que o pico pode ser menor se nós mantivermos um isolamento adequado", disse.

Hospital de Campanha sem UTI

Amaral também explicou que a existência do Hospital de Campanha sem leitos de UTI segue planejamento da SES, que prevê a priorização da ampliação de vagas de terapia intensiva em hospitais que já tenham a estrutura e expertise necessárias para esse atendimento, que é voltado a casos mais graves da enfermidade.

"A maioria dos hospitais que já tinham UTI foram inseridos no Plano de Contingência de cada região de forma que eles tivessem a sua capacidade de assistência em terapia intensiva ampliada", afirmou. Conforme o gestor, uma unidade de terapia intensiva requer estrutura mas complexa para manter o leito em funcionamento.

Hospital de Campanha

Inaugurado em abril, o Hospital de Campanha do Expominas segue fechado e tem capacidade para atender até 768 pacientes da rede pública.