A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informou, nesta segunda-feira (6), que a ampliação de leitos de terapia intensiva promovida pelo Estado na rede pública alcançou o índice de 56%. Segundo a pasta, as vagas de UTI em Minas saltaram de 2.072 em fevereiro deste ano para 3.351 nesta segunda. Além disso, o governo divulgou que o painel de informações sobre a ocupação de leitos, que passou por uma alteração de metodologia e ficou fora do ar, voltou a ser publicado.

Conforme o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, o trabalho de ampliação é resultado de um esforço conjunto entre o Estado, governo federal, prefeituras e prestadores de serviço. Entre as regiões que passaram por crescimento da disponibilidade de vagas e citadas pelo gestor estão: 

  • Região Centro (cidade-polo: BH): expansão de 354 leitos;
  • Centro-Sul (cidade-polo: Barbacena): 78 novos leitos;
  • Jequitinhona: 16 novos leitos;
  • Leste (cidade-polo: Governador Valadares): 48 novos leitos;
  • Leste do Sul (cidade-polo: Ponte Nova): 36 novos leitos;
  • Nordeste: 22 leitos novos, o que representa crescimento de 88% na região, segundo o Estado;
  • Noroeste: 10 leitos novos;
  • Montes Claros: 102 leitos novos;
  • Oeste: 125 leitos novos;
  • Sudeste (cidade-polo: Juiz de Fora): 112 leitos novos;
  • Sul: 196 leitos novos;
  • Triângulo Norte: 55 leitos novos;
  • Triângulo Sul: 20 leitos novos;
  • Vale do Aço: 95 leitos novos. 

Painel no ar

Amaral informou que o retorno da publicação de informações sobre a ocupação de leitos de UTI e enfermaria está mais confiável com a mudança na metodologia. Segundo o gestor, a nova forma de colher os dados foi otimizada com a criação do Escritório de Leitos, que consiste em uma equipe da SES-MG específica para o confronto de informações diretamente nos hospitais em caso de dados conflituosos.

painel

Ocupação de leitos de UTi nesta segunda-feira

"Nosso Escritório de Leitos tem feito uma busca ativa quando há suspeita de alguma inconsistência entre o que nós identificamos no SUS-Fácil e a possibilidade de ter diferença na ponta. Ele liga para os hospitais e confere se a ocupação que estamos enxergando na sede da SES corresponde à ocupação nos hospitais", afirmou. 

O Painel de Monitoramento de Casos, com as informações de ocupação, pode ser visto neste link