Uma multa de R$ 250 milhões aplicada pelo Ibama à Vale, após a tragédia em Brumadinho, na Grande BH, será investida em parques nacionais e ações de saneamento em Minas. A aplicação dos recursos poderá ser feita em até três anos para melhorar as condições de visitação nas áreas verdes.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (6) durante coletiva com a participação do governador Romeu Zema (Novo) e dos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Um dos objetivos é alavancar o setor do turismo, que amarga perdas de R$ 5 bilhões e 70 mil demissões.

Sete unidades de conservação no território mineiro receberão R$ 150 milhões. São elas: Serra do Cipó, e Sempre-Vivas, na região Central, Serra do Caparaó, na Zona da Mata, Grande Sertão Veredas, e Cavernas do Peruaçu, no Norte, Serra da Canastra, no Centro-Oeste, e Serra do Gandarela, na Grande BH.

Zema

Zema afirmou que valor ajudará no setor de saneamento, mas não resolverá problema

Dentre as ações nesses locais, haverá a ampliação dos projetos de combate a incêndios. Segundo Salles, o governo federal reduziu os índices de queimada  e dobrou a quantidade de brigadistas temporários.

"Isso vai arrumar os parques, deixá-los em condição de visitação, com toda a infraestrutura necessária, treinamento de pessoas, geração de emprego para todo o entorno de cada um deles e, caso haja algum excedente de recursos que não venha a ser aplicado, ele vai se somar à segunda parte do recurso do acordo", afirmou Salles.

Os demais R$ 100 milhões serão destinados a ações de saneamento básico. De acordo com Romeu Zema, as cidades contempladas ainda não foram definidas. O objetivo é priorizar municípios mais carentes.

"É lógico que esse valor está longe de ser suficiente para corrigir o problema de saneamento no Estado, mas vai ajudar e muito esses municípios que serão escolhidos", disse, sem detalhar as intervenções.

Marcelo Álvaro

Ministro do Turismo quer aumentar número de visitantes aos parques

Conforme o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, os recursos destinados aos parques ajudarão o ecoturismo no Brasil, ampliando a visitação. Para ele, as ações também ajudarão na  geração de renda e de emprego para a população.

Apoio pós-pandemia

Mesmo sem dar detalhes, Zema disse que, além dos R$ 250 milhões referentes à multa da Vale, Minas planeja um acordo para compensar as perdas econômicas e sociais provocadas pela mineradora. "Não há nenhuma data nem valor previsto. O Ministério Público e a Advocacia Geral do Estado estão à frente (do processo)".