Mais uma cidade da Grande BH recuou na flexibilização do comércio. Somente os serviços essenciais, como padaria, supermercado e farmácia, por exemplo, estão autorizados a funcionar em Ibirité, na Região Metropolitana, a partir desta segunda-feira (6). A decisão foi tomada após a lotação do Hospital de Campanha.

De acordo com o prefeito William Parreira, 70% dos leitos estão ocupados. A unidade de saúde extra conta com 20 vagas de UTI e 20 de enfermaria. Além disso, o município também vive uma explosão de casos suspeitos da Covid-19.

Balanço do executivo revela que 5.305 notificações do novo coronavírus estão em investigação. O último boletim epidemiológico mostra que a cidade tem 270 casos confirmados e sete mortes pela doença viral. No total, 146 infectados estão recuperados.

"É hora de recuar para salvar vidas", frisou o prefeito.

Segurança

Toda semana o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 se reúne para avaliar a situação da cidade. Dentre as ações desenvolvidas para proteger a população, a prefeitura disponibilizou os telefones 3533-6168 e 99392-7402 para que os moradores com suspeita da doença tirem dúvidas sobre o vírus. "Profissionais da área da saúde dão todo o suporte e, caso necessário, indicam o atendimento presencial", frisou o executivo.

Quem for diagnosticado com a Covid-19, e apresenta sintomas mais leves, é colocado em isolamento domiciliar e acompanhado, por telefone, pelos profissonais da saúde. "Além disso, a prefeitura está oferecendo atendimento psicológico gratuito, também por telefone, durante o período de isolamento social", destacou. O serviço funciona de segunda a sexta, de 8h às 17h, no 99315-1911.

Em Ibirité, o uso de máscara é obrigatória desde 5 de maio para todos que saírem às ruas.

Leia mais:
Perto do pico da Covid, Minas registra média de 43 mortes por dia
Contramão da pandemia: juros baixos e isolamento social turbinam mercado imobiliário em plena crise