A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que entrou na Justiça para garantir que o metrô continue circulando em Belo Horizonte das 5h40 às 20h. Por causa da pandemia do novo coronavírus, o horário dos trens foi reduzido. Mesmo assim, os metroviários querem restringir ainda mais a circulação para garantir a segurança dos trabalhadores.

O sindicato da categoria anunciou que, a partir de quarta-feira (24), o metrô só vai funcionar entre 6h e 9h e de 16h30 às 20h. Segundo o presidente do sindicato, Romeu Machado, a medida é para proteger a saúde de todos. "Essa ação não visa somente preservar o trabalhador do metrô, mas a própria população que enfrenta trens lotados, muita gente sem máscara. Infelizmente muita gente não tem ideia do que realmente está acontecendo, por isso, se ela ver que o metrô está funcionando, ela vai andar de metrô", explicou.

Para impedir essa redução, a CBTU ingressou com ação no Tribunal Regional do Trabalho para que "minimize os efeitos da paralisação anunciada pelo Sindicato dos Metroviários de Belo Horizonte (Sindimetro)".

Em nota, a companhia frisou que o serviço é essencial para a população e destacou que já vem operando com horário reduzido. Além disso, disse que tem tomado todas as precauções para impedir a proliferação da Covid-19 tanto para os funcionários quanto para os passageiros. 

Entre as medidas estão a operação de trens acoplados, distribuição de equipamentos de segurança individual (EPI) e insumos de proteção para colaboradores. As estações, conforme a CBTU, também estão sendo higienizadas.