O ritmo de crescimento da Covid-19 na capital mineira segue abaixo da média registrada na região metropolitana, em Minas e no Brasil, segundo dados divulgados pela Prefeitura de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (14). Dados registrados entre 1º de maio e o último dia 13 de junho apontam que a taxa de crescimento de casos confirmados na cidade é de 4% por dia, enquanto o índice no Brasil é de 5,7%. O número é também inferior à taxa em Minas Gerais (6,2%) e na região metropolitana (6,1%).

De acordo com a prefeitura, as primeiras medidas de combate à pandemia na capital foram tomadas em 17 de março, com um decreto de situação de emergência em saúde pública. Três dias depois, o comércio foi fechado, sendo permitido apenas o funcionamento de serviços considerados essenciais como supermercados e farmácias.

Mesmo com o bom desempenho anunciado, a capital é o município com mais casos da doença em Minas, com 3.631 casos confirmados e 83 mortes, sete delas nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (17), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Já a taxa de ocupação de leitos continua com índice na zona vermelha nesta quarta-feira (17). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dos 966 leitos de UTI da capital mineira, 82% estão ocupados. 

Na avaliação do infectologista Estevão Urbano, integrante do Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19 da Prefeitura de BH, a situação nunca esteve tão preocupante. “Temos que dar um recado pra população: não está na hora de afrouxar as medidas. O distanciamento tem que ser aumentado. Essa é a contribuição de cada cidadão para evitar que haja riscos de esgotamento do sistema", alertou o infectologista.

A reabertura gradual do comércio em Belo Horizonte começou no dia 25 de maio. De acordo com o prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) esse processo será feito em quatro etapas. Na primeira etapa, salões de beleza, shopping populares e comércios varejistas foram autorizadas a abrir.

Desde o dia oito de junho passou a valer a segunda etapa da flexibilização do isolamento social com a reabertura de de lojas de artigos esportivos, bebidas, floriculturas, instrumentos musicais e tabacarias.

Inquérito sorológico

A PBH informou ainda que está em andamento o inquérito sorológico, que irá verificar a imunidade da população ao novo Coronavírus. Os testes serão realizados nas categorias profissionais que permaneceram em atividade mesmo com a implantação do isolamento social, como trabalhadores de saúde das redes pública e privada, atendentes e caixas de supermercados, padarias, farmácias e drogarias da capital e trabalhadores do transporte coletivo. Os profissionais de saúde já passaram por duas rodadas de testes e, nesta semana, os atendentes de supermercado da capital já começaram a ser testados.

Laboratório

Alexandre Kalil anunciou nesta quarta-feira (17) que a cidade terá um Laboratório Municipal de Biologia Molecular para análises de testes PCR, o mais indicado para diagnóstico de Covid-19, com capacidade diária para 320 amostras, totalizando mais de 1,5 mil testes por semana.

Fique em casa

A prefeitura também ressalta que a população deve sair de casa somente quando necessário, tentando sempre manter o distanciamento de um metro e meio. O isolamento social deve ser mantido para controle da transmissão do vírus. O uso de máscara é obrigatório, além da higienização das mãos com álcool em gel e sabão.