A fiscalização na orla da lagoa Várzea da Flores, em Contagem, na Região Metropolitana de BH, será intensificada a partir desta terça-feira (16). A medida foi tomada após uma jovem de 20 anos morrer afogada na última quinta-feira, quando a lancha em que ela estava virou.

De acordo com a Guarda Civil da cidade, o local, que antes recebia um patrulhamento preventivo, passou a ter policiamento fixo, a partir da criação de uma barreira. O tráfego só será permitido a moradores e pessoas em deslocamento para cidades vizinhas.

Conforme o comandante Levi Sampaio, a insistência dos visitantes e dos comerciantes em abrirem o comércio na orla já levou a 1.088 ocorrências. Vinte e dois estabelecimentos que funcionavam irregularmente foram fechados.

Antes do acidente, o artigo 4º do decreto 1568/2020 já estipulava a proibição, por tempo indeterminado, do acesso de embarcações, pescaria, nado e qualquer atividade de esporte e lazer. Apesar da proibição, muitos banhistas frequentavam a represa nos fins de semana.

Festa na água

A lancha que virou na noite de quinta levava pessoas que participavam de uma festa de aniversário às margens da lagoa. A embarcação estaria com superlotação e o piloto com suspeita de embriaguez.

Leia também:
Corpo de jovem é encontrado a seis metros de profundidade na lagoa Várzea das Flores
Bombeiros procuram jovem que caiu na lagoa Várzea das Flores após lancha afundar