Belo Horizonte decide nesta sexta-feira (12) se dá o aval ou barra a retomada de mais atividades econômicas na cidade. Bares, restaurantes, academias e outros comércios que não foram contemplados na última etapa da flexibilização aguardam a decisão, que será anunciada à tarde pelo prefeito Alexandre Kalil e integrantes do Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19.  

Os próximos passos para o combate ao coronavírus na capital foram discutidos na noite de quinta-feira (11), na casa do prefeito. "Por incrível que pareça, já temos mais de 90% da cidade aberta. Estamos abrindo devagarinho e controlando. É natural que o primeiro que fecha seja o primeiro a abrir", observou Kalil em live no Instagram com a jornalista mineira Leda Nagle.

Kalil  destacou que, desde 18 de março, quando BH fechou o comércio, a fiscalização foi rígida, com mais de 27 mil ocorrências de lojas que tentaram abrir irregularmente.

De acordo com o boletim da Secretaria de Estado da Saúde, divulgado nessa quinta, a metrópole registra 66 óbitos e 2.853 casos de Covid-19.  Em uma semana, a capital teve um aumento de 11 mortes e 709 doentes.

Flexibilização

De acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, as duas etapas de flexibilização do isolamento social representaram a retomada de 92% dos empregos na capital.  

Na primeira fase, mais de 34 mil trabalhadores retomaram as atividades, com a reabertura de 9.771 empresas e mais de 28 mil Microempreendedores Individuais (MEIs). Na segunda, 323 empresas e 8.137 MEIs foram contemplados, além de cerca de 15 mil empregos formais.

Cerca de 89,6% das atividades privadas em Belo Horizonte estão em funcionando atualmente.  

Veja a lista de lojas que abriram na segunda fase da flexibilização:

11h às 19h
Artigos usados;
Artigos esportivos, de camping e afins;
Calçados;
Artigos de viagem;
Artigos de joalheria;
Souvenirs, bijuterias e artesanatos;
Plantas, flores e artigos para animais (exceto comércio de animais vivos);
Bebidas (sem consumo no local);
Instrumentos musicais e acessórios;
Objetos de arte e decoração;
Tabacaria, armamentos e lubrificantes;
Comércio atacadista das cadeias acima (5h às 17h).

Veja os estabelecimentos que ainda estão fechados em BH:

Bares e restaurantes (apenas delivery);
Lojas de roupas;
Clubes sociais;
Boates; 
Cinemas;
Teatro;
Museus
Galeria e shoppings (com exceção dos populares);
Academias;
Eventos;
Escolas

Leia mais:
Marcos Pontes faz balanço de ações na área de Comunicações
Bolsonaro fala sobre o risco de endividamento público em live