Nos últimos dias, médicos veterinários têm trabalhado bastante para explicar aos tutores de animais de estimação de que não há comprovação científica de que gatos possam contrair ou transmitir o novo coronavírus. Muitas pessoas têm procurado informações de profissionais após uma reportagem da revista “Nature” tratar da possibilidade de o vírus contaminar felinos.

A reportagem traz um estudo ainda preliminar, feito na China, com um grupo pequeno de animais, que indicou positividade em testes feitos em alguns gatos e furões. O estudo é indicativo e não mostrou qualquer evidência de que o gato pudesse transmitir o vírus para seres humanos.

A informação de que felinos poderiam ser infectados ganhou força nesse domingo (5), quando foi anunciado que uma tigresa do zoológico de Nova York testou positivo para o novo coronavírus. Mas, o espaço fez questão de divulgar publicamente que essa informação não indica possibilidade de transmissão da doença por felinos.

Fechado desde o dia 16 de março, o zoológico informou que “não há evidências de que os animais tenham um papel na transmissão da Covid-19 para as pessoas, para além do evento inicial no mercado de Wuhan e nenhuma evidência de que qualquer pessoa tenha se infectado por Covid-19 nos Estados Unidos através de animais, incluindo cães e gatos de estimação”.

“Há pesquisas sendo realizadas em todo o mundo, mas não há qualquer comprovação científica, até o momento, de que animais de estimação possam contrair ou transmitir o novo coronavírus. É fundamental que isso seja divulgado pela população, para que as pessoas não abandonem seus animais”, afirmou Bruno Divino, presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais (CRMV-MG).

Testes laboratoriais

Outra discussão se formou entre veterinários depois que um laboratório veterinário anunciou que estava preparado para fazer testes para Covid-19 em animais (testes pagos pelos tutores). Muitos profissionais temeram que esses testes pudessem oferecer uma falsa impressão à população de que animais possam contrair a doença e transmiti-la.

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) se manifestou sobre o assunto em seu site, afirmando que isso alarma e tenta obter vantagens de tutores de animais de estimação.

“Não existe nenhuma indicação da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e outros órgãos oficiais no Brasil e no mundo para que os animais domésticos sejam testados para o novo coronavírus, pois não são transmissores da Covid-19”, afirmou o CFMV, lembrando que o abandono de animais oferece um risco à saúde pública.

Para Bruno Divino, os laboratórios veterinários poderiam, neste momento em que a sociedade demanda testagem em massa entre humanos, contribuir para a sociedade de outra forma. “Seria interessante se os laboratórios veterinários se oferecerem para ajudar o Brasil a fazer testes em humanos, contando com sua força de trabalho e sua tecnologia. O que precisamos agora é testar a Covid-19 entre as pessoas”, diz.

Vale lembrar que os cães podem ser vetores de transmissão, caso seus tutores não tomem cuidados durante os passeios. É preciso fazer a higienização dos pelos e das patas do animal, após passeios pela rua, para que o vírus não seja levado para dentro de casa.