A partir deste sábado (4), as praças da Liberdade, no bairro Funcionários e JK, no Sion, ambas na região Centro-Sul da capital, serão fechadas pela Prefeitura de Belo Horizonte, por tempo indeterminado, como medida de segurança contra o avanço do coronavírus.

Segundo a PBH, os espaços serão cercados com grades e a Guarda Municipal manterá agentes fixos nos locais para garantir o respeito ao isolamento. Na noite desta sexta (3), já era possível ver parte da Praça da Liberdade, habitualmente ocupada para a prática de atividades físicas e por famílias, cercada por grades. 

Praça da Liberdade fechada

Ainda conforme a prefeitura, outros espaços passam por avaliação e também poderão ser fechados. "A medida busca proteger a saúde da população e evitar a aglomeração de pessoas, o que torna o ambiente propício para a proliferação da Covid-19", informou a PBH em nota.

Na Praça da Liberdade, um dos cartões postais da capital mineira, as atividades culturais já estavam suspensas com os fechamento dos museus que compõem o Circuito Liberdade e o cancelamento de exposições, palestras e espetáculos em geral.

Essa é mais uma medida restritiva do prefeito Alexandre Kalil que será válida enquanto durar o estado de emergência pela pandemia. Outras ações preventivas para diminuir o deslocamento e a aglomeração de pessoas já foram tomadas como o fechamento de bares, restaurantes e cinemas. Velórios também estão proibidos nos quatro cemitérios municipais.

Segundo o último balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), Belo Horizonte tem 222 casos confirmados do novo coronavírus até o momento e três mortes. Outros 14.807 pacientes com suspeita são investigados.