O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), segue adotando linha dura no combate à pandemia de coronavírus. Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira (2), a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) anunciou que, a partir da próxima segunda-feira (6), os ônibus vindos de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de BH, estarão proibidos de entrar na capital.

No texto, a PBH explicou que caminhões, ambulâncias e carros de passeio estarão liberados, com a restrição sendo imposta apenas aos coletivos.

De acordo com o órgão, a medida se dá pelo fato de Lagoa Santa não ter acatado as orientações das autoridades da saúde para conter a pandemia da Covid-19.

Na última segunda-feira, por meio de um decreto, o prefeito de Lagoa Santa, Rogério Avelar (PPS), autorizou, com uma série de recomendações, a reabertura de parte do comércio e de outros estebelecimentos na cidade. 

Ainda segundo a Prefeitura de BH, a decisão foi tomada em comum acordo com o Governo de Minas, com intuito de proteger o sistema de saúde da capital, que já presta atendimento a grande parte dos municípios do interior de Minas Gerais.

O Hoje em Dia tentou contato com a Prefeitura de Lagoa Santa para comentar a restrição imposta pela PBH, mas ainda não obteve retorno. 

Confira o comunicado da PBH:

"A Prefeitura de Belo Horizonte informa que a partir de segunda-feira impedirá o acesso de ônibus de transporte coletivo provenientes do Município de Lagoa Santa. A medida se dá em função deste Município não ter acatado as orientações das autoridades da saúde para conter a pandemia COVID-19. Esta ação, voltada exclusivamente para ônibus coletivos, foi tomada em comum acordo com o Governo do Estado e visa proteger o sistema de saúde de Belo Horizonte, que já presta atendimento a grande parte dos municípios do interior de Minas Gerais"