A Prefeitura de Varginha, no Sul de Minas, está reunida, na tarde desta sexta-feira (27), para avaliar a possibilidade de reabertura do comércio na cidade, solicitada por entidades locais do setor. Em caso de aprovação, os lojistas poderão reabrir as portas a partir da próxima segunda-feira (30), desde que cumpram medidas de prevenção à propagação da Covid-19. Em Coronel Fabriciano, no Vale do Rio Doce, a prefeitura liberou o retorno nesta quinta, com regras.

Em Varginha, as lojas estão fechadas desde a última segunda-feira (23), quando foi publicado um decreto municipal para a suspensão das atividades. De acordo com a prefeitura, ainda não há definição sobre o pedido de reabertura, que foi recebido na noite desta quinta-feira. Em conformidade ao decreto, o comércio só poderá reabrir caso haja uma liberação da administração municipal.

Caso ocorra a reabertura, os lojistas deverão cumprir uma série de medidas (veja todas abaixo) para a prevenção ao coronavírus. Dentre elas, estão o horário reduzido de funcionamento, a limitação da quantidade de pessoas dentro de cada loja e a disponibilização de álcool em gel ou local para lavação das mãos para clientes e colaboradores, além de outras.

Entidades avaliam positivamente o isolamento

O ofício pedindo a reabertura do comércio foi discutido e assinado, nesta quinta-feira, durante reunião com as direções da Associação Comercial de Varginha (Aciv), do Sindcomerciários, do Sindicato do Comércio Varejista de Varginha (Sindvar), do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação de Varginha (Sehav) e do Via Café Garden Shopping.

De acordo com a Aciv, todos os representantes presentes avaliaram como positiva a decisão de fechar o comércio pois garantiu que fosse evitada a proliferação do coronavírus, mantendo baixos os casos suspeitos da Covid-19. A cidade não tem quadros clínicos confirmados para a doença.

No entanto, em reunião, foi discutida a possibilidade de reabertura gradual do comércio, respeitando regras que não comprometessem o combate ao coronavírus. Caso a reabertura seja aprovada pela administração municipal, a diretoria da Aciv, juntamente com as demais entidades citadas, comprometeu-se a reunir-se com a prefeitura para reavaliar as medidas.

"Cabe a nós nos posicionarmos nesse momento de grave crise, tentando sempre minimizar os impactos", afirmou o presidente da Aciv, Anderson de Souza Martins.

Ainda conforme a Aciv, a solicitação busca valorizar os comerciantes que precisam da renda para manter os negócios e os funcionários das lojas, que estavam muito ansiosos com possíveis demissões em massa. "Ao mesmo tempo procurou estipular regras para que a saúde das pessoas fosse preservada", finalizou.

Leia abaixo as sugestões para reabertura do comércio, conforme publicado pela Aciv:

I – Reabertura de todas as lojas do comércio de Varginha à partir desta segunda, dia 30 de março;
II – Horário de funcionamento das lojas do centro da cidade das 10h às 17h, para evitar aglomerações nos ônibus circulares;
III – Horário de funcionamento das lojas do Shopping das 12h às 20h, para evitar aglomerações nos ônibus circulares;
IV – Todas as lojas deverão seguir regras, limitando a quantidade de pessoas dentro das lojas e para isso haverá um cartaz na porta com o número de pessoas que poderão estar dentro do estabelecimento;
V – As pessoas dentro das lojas deverão ficar a um metro de distância uma da outra para manter-se em segurança;
VI – Todos os estabelecimentos comerciais deverão disponibilizar aos clientes e colaboradores o álcool gel para higienização ou local para lavar as mãos com água e sabão;
VII – Os restaurantes deverão acomodar as mesas e cadeiras respeitando a distância mínima de 1,5 metros entre as pessoas como medida de segurança;
VIII – Os comerciantes deverão liberar para ficar em casa, os colaboradores que estão no grupo de risco, ou seja, acima de 60 anos ou com doenças, inclusive resfriados;
IX – Todos os vendedores das lojas deverão usar máscaras para possibilitar proteção aos clientes que serão atendidos;
X – Caberá a ACIV divulgar que o comércio está aberto e que sigam as regras para o bom recebimento do cliente preservando a saúde;
XI – Caberá a Prefeitura de Varginha, através do setor de posturas, fiscalizar os estabelecimentos para ver se todos estão cumprindo as regras estabelecidas;
XII – O empresário deverá possibilitar o revezamento entre os funcionários, para evitar aglomerações;
XIII – Em uma semana o comitê se reunirá novamente para reavaliar se o comércio poderá voltar a funcionar em horário normal, permanecer com horário reduzido ou até mesmo voltar a ser fechado, dependendo dos números de evolução da doença.

Leia mais:
Prefeitura de Belo Horizonte vai distribuir kits de limpeza para 57 mil famílias carentes
Argentina decreta fechamento total de fronteiras até o fim do mês
Papa concede extraordinária 'Urbi et Orbi' e destaca heróis do combate ao coronavírus