Eles se desdobram na urgente linha de frente para combater o novo coronavírus. Médicos, enfermeiros, técnicos e pesquisadores deixam de lado o medo e a insegurança para enfrentar a doença que já matou mais de 15 mil pessoas no mundo.

Alessandra Pereira, de 38 anos, é técnica em enfermagem no Hospital Risoleta Neves, na região de Venda Nova. O desafio é diário e exaustivo. “Estão chegando muitos casos suspeitos. Estamos tensos, não está sendo fácil. Por causa da demanda, estão faltando máscaras. O álcool em gel está acabando também. Estamos com muito medo, mas temos que trabalhar”, destacou.

médicos

 

Os profissionais de saúde atendem os infectados e entram em contato direto com o vírus. Com isso, a rotina é modificada em casa também. “Eu deixo uma sacola no portão de casa para colocar a minha roupa e vou direto para o banheiro. Além disso, lavo a cabeça todos os dias. Está um caos. Limpo as maçanetas da casa, limpamos as chaves o tempo todo”, explicou a técnica em enfermagem, que é casada e mãe de duas crianças, de 10 e 6 anos.

Para a médica Denise Cristiane Costa, de 35 anos, é um momento desafiador. "Ser médico ou qualquer profissional da saúde, neste período tão crítico, tem sido um desafio. Antes de a gente ser um profissional da área da saúde, é ser-humano, temos família e temos medo. Mas é nesta época que temos de ser forte, enfrentar este desafio. Fizemos um juramento na medicina que a gente trabalha em prol das pessoas, independentemente do risco que a gente se expõe", disse a especialista em clínica geral. 

 

Homenagens

​Com trabalho de relevância inestimável dos profissionais da saúde, os agradecimentos se espalham pelo planeta. Seguindo o exemplo de Itália e Portugal, os brasileiros organizaram na última sexta-feira (20) uma homenagem destas pessoas que estão colocando a vida em risco ao tratar os infectados pela Covid-19. A campanha #AplausosNaJanela, como vem sendo divulgada nas redes sociais, é uma forma de ser solidário com oo trabalho incansável destes profissionais.

As homenagens são símbólicas, mas comovem os profissionais da saúde. "Antes de tudo, o que a gente tem a dizer é: obrigada, população! Pela sensibilidade com os profissionais da saúde, não só pelos médicos. Minha mãe é enfermeira e também está trabalhando. Está sendo difícil, estamos anisosos, preocupados. A gente conta que a população fique em casa e cuide dos seus", relatou a médica Denise Cristiane Costa. 

​Itália

Até o dia 20 de março, mais de 4 mil profissionais da saúde contraíram o coronavírus na Itália, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde. No país, 23 médicos morreram desde o começo da epidemia. Como homenagem, moradores de várias cidades do país abrem suas janelas, por volta de 12h (horário local), e aplaudem os profissionais da saúde que se tem comprometido no combate à Covid-19.

O médico italiano Nicola Sgarbi tem utilizado o seu instagram para relatar a realidade dos profissionais da saúde no país. Em uma das publicações, ele mostrou como ficou o seu rosto utilizando os equipamentos de proteção e segurança após 13 horas de plantão em um hospital. 

"Não sou e não me sinto um herói. Eu sou uma pessoa normal, que ama seu trabalho e que, agora mais do que nunca, tem orgulho de fazê-lo, dando tudo na linha de frente, juntamente com outras pessoas maravilhosas (médicos, enfermeiros, Os, técnicos, produtos de limpeza) (...) É por isso que não me importo com as muitas horas de trabalho, sinais, dores nas costas, cansaço, refeições salteadas e muito mais. Tudo isso vai passar. Também passará graças a você e seu trabalho duro e sacrifícios. Passará se estivermos unidos em um imenso esforço conjunto. Não desista", desabafou Sgarbi em um post no instagram. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

I don't love selfies. Yesterday, though, I took this photo. After 13 hours in ICU after taking off all my protective devices, I took a selfie. I am not and I don't feel like a hero. I am a normal person, who loves his job and who, now more than ever, is proud and proud to do it by giving all himself on the forefront lines together with other wonderful people (doctors, nurses, oss, technicians, cleaners) Good morning. That's why I don't care about the many hours at work, signs on, back pain, tiredness, sautéed meals and much more. This will all pass. It will also pass thanks to you and your hard work and sacrifices. It will pass if we are united in one immense joint effort. Don't give up. Never. 💪🏼

Uma publicação compartilhada por Dr Nicola Sgarbi (@dr.nicola_sgarbi) em