Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo metropolitano de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, recomendou, neste sábado (14), que os católicos idosos e enfermos deixem de participar das missas semanais devido à pandemia do coronavírus.

O representante da Igreja Católica também sugeriu suspender por 15 dias a catequese e a realização de encontros, assembleias e seminários, além de interromper mutirão de confissões nas comunidades paroquiais e privilegiar celebrações em espaços abertos. Segundo ele, a doença avança no Brasil e é momento de maior dedicação às medidas de prevenção.

Além das orientações já publicadas no dia 26 de fevereiro - em que a igreja recomendou que as pessoas recebam a Sagrada Eucaristia nas mãos, suspendam o abraço da paz e não se deem as mãos na oração do Pai-Nosso, há novas. Veja abaixo, na íntegra:

1) No âmbito de nossos vicariatos, regiões episcopais, foranias, paróquias e outras instâncias eclesiais, suspender, por quinze dias, a realização de encontros, assembleias, seminários e outros eventos que contribuam para aglomerar pessoas. Havendo possibilidade, remarcar atividades já previstas.

2) Nas comunidades de fé e em outros ambientes eclesiais, redobrar os cuidados com a limpeza e facilitar para que os fiéis tenham acesso a álcool em gel.

3) Idosos e enfermos ficam desobrigados do compromisso cristão católico de participar das Missas semanais. Poderão permanecer em comunhão e unidos à comunidade de fé a partir das celebrações transmitidas pela Rede Catedral de Comunicação Católica – TV Horizonte e Rádio América.

4) Torna-se importante suspender mutirão de confissões nas comunidades paroquiais. Solicitamos aos sacerdotes que dediquem horário especial, diário, para acolher os fiéis que buscam o Sacramento da Reconciliação, neste tempo de Quaresma.

5) Recomenda-se também suspender por 15 dias a catequese.

6) Quando possível, solicitamos aos evangelizadores que organizem celebrações em espaços abertos, especialmente as que reúnem mais pessoas, e mantenham as Igrejas mais arejadas.

7) Todos devem seguir as recomendações do Ministério da Saúde, mantendo bons hábitos de higiene.

8) Importante redobrar cautela para não compartilhar notícias falsas (fake news). A mentira, além de prejudicar o enfrentamento da doença, gera pânico, agravando a situação.

9) Nesse sentido, oportuno é checar cada informação recebida pesquisando em outras referências

10) Prevalecem as indicações publicadas no dia 26 de fevereiro: receber a Sagrada Eucaristia nas mãos, suspender o abraço da paz e não se dar as mãos na oração do Pai-Nosso.

11) Vamos intensificar, nos modos possíveis, a promoção de momentos de oração e preces a Deus para que nos livre deste e de muitos males que atentam contra a vida na sociedade, fortalecendo os agentes e profissionais da saúde para que realizem tudo o que for necessário para superarmos a ameaça do Coronavírus e de outras enfermidades.

Leia mais:
Igreja São José, em BH, não terá público na festa dedicada ao santo, na próxima quinta-feira
Igrejas recomendam evitar contato em missas para prevenir coronavírus