Nesse domingo (23), saiu às ruas do Centro de Porto, em Portugal, o bloco Batucada Radical, criado em 1994 pelo carioca Mestre Porto e a portuguesa Helena Fernandes, e considerado o primeiro do país sendo, até hoje, o único cortejo carnavalesco da cidade. Além da língua, a conexão com a antiga colônia se dá também pela música. 

Enquanto em BH desfilam cerca de 500 grupos pelas ruas da metrópole de 2,5 milhões de pessoas, de estilos variados e em diferentes pontos, na cidade costeira de Portugal, que tem apenas cerca de 200 mil habitantes, o Batucada Radical chama a atenção ao divulgar a música brasileira por lá. 

Ao som de funk, reggae, samba e forró, o belo-horizontino Bruno Cerqueira, de 32 anos, desenvolvedor de sistemas, conseguiu matar a saudade da folia da cidade natal ao encontrar o Batucada, onde toca caixa.

"Moro em Porto há um ano e três meses e uma das coisas coisas que sentia falta aqui era da alegria e das festas brasileiras. Aí comecei a ensaiar no bloco Batucada Radical e é como se eu voltasse de novo ao Carnaval de BH. É o único bloco da cidade e me cativou justamente por ser inclusivo e aberto a todas as pessoas", conta. 

Uma diferença pontual entre as duas festas, segundo ele, é o caráter político e de protesto mais marcante em BH. "Não há manifestações assim no Batucada, por exemplo. Mas, ao mesmo tempo, o bloco tem um caráter social e inclusivo, e é envolvido em vários projetos jutno aos bairros pobres de Porto", relata. 

Leia mais:

Não acabou: confira programação e como chegar aos 37 blocos de Carnaval desta terça em BH
Escolas de samba colorem a terça-feira de Carnaval no centro de BH; veja quem desfila
Pelas ruas do Renascença, Alô Clara garante homenagem à cantora e compositora brasileira