Representantes de blocos de rua de Belo Horizonte estão reunidos na tarde desta quinta-feira (20) com membros das forças de segurança de Minas Gerais. O encontro acontece na Cidade Administrativa, região de Venda Nova, às portas fechadas. O secretário-adjunto de Governo, José Geraldo de Oliveira Prado, também está presente. 

As informações são da assessoria de imprensa do Executivo Estadual. 

Dentre os assuntos tratados, a polêmica envolvendo os trios elétricos que atendem a 15 grupos previstos para desfilarem na festa momesca deste ano na metrópole. No último fim de semana, dois carros de som foram apreendidos, inviabilizando os cortejos de três blocos.

A exigência, que pegou os organizadores de surpresa, é considerada, por eles, uma burocracia desnecessária, já que todos os laudos de segurança e autorização que haviam sido requeridos pela administração municipal já foram emitidos e protocolados.  

Advogados da empresa responsável pelo aluguel dos veículos acionaram a Justiça, na madrugada desta quarta-feira (19), na tentativa de reverter a situação. Apesar de todos os caminhões já terem o laudo de inspeção técnica fornecida por empresa credenciada, a exigência que pegou os blocos de surpresa é um requisito de alteração do veículo. "Um nome no documento", afirma o defensor.

Após os tribunais negarem liminar favorável a ela, o Juventude Bronzeada, um dos maiores blocos de rua da capital mineira, anunciou o cancelamento do desfile, que estava marcado para a terça-feira de Carnaval.

Leia Mais:
Contra o tempo: ação judicial pede liberação de trio elétrico para blocos; um deles desfila nesta 5ª
Carros de som de metade dos 30 blocos de BH que usam estrutura estão irregulares
Detran poderá ter força-tarefa para liberar trios elétricos antes de desfiles de bloquinhos em BH