“Look ok, cabelo ok, maquiagem ok e a unha tá ok”. Os foliões têm utilizado a música “Tudo OK”, hit do verão, para fazer a checagem do que não pode faltar para curtir o Carnaval. Mas um item essencial tem sido deixado de lado: a vacinação contra doenças. A 16 dias da maior festa do país, quem quiser curtir a farra protegido precisa correr contra o tempo.

vacinação
Felipe foi até o posto de saúde para atualizar a caderneta de vacinação

Determinadas imunizações só fazem efeito 15 dias após a aplicação da dose. É o caso do sarampo. A doença altamente contagiosa tem a transmissão facilitada em aglomerações, o que preocupa autoridades. Após surtos em vários estados, inclusive Minas Gerais, é baixa a cobertura vacinal entre os mineiros. 

Por aqui, mais de 5,6 milhões de pessoas não tomaram a injeção contra a enfermidade e estão suscetíveis à infecção. A recomendação de especialistas é procurar o quanto antes um posto de saúde para se proteger.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) destaca que cerca de 50% dos mineiros até 29 anos não receberam nenhuma das duas doses necessárias contra o sarampo. 

Em meio a tantos males em circulação no país e no mundo, as autoridades reforçam não ser possível saber se os turistas que virão à capital mineira – que pode ter 5 milhões de pessoas nas ruas durante o Carnaval – também estarão protegidos. 

“É importante que cada pessoa tenha responsabilidade com sua saúde e com a do outro”, frisa Josianne Dias Gusmão, coordenadora estadual do Programa de Imunizações.

“As pessoas só se lembram da vacina quando há epidemia. Mas ela é importante o ano todo, especialmente perto de festas com aglomerado de pessoas” (Josianne Dias Gusmão, coordenadora estadual do Programa de Imunizações da SES)

Segurança

Para ficar imune a doenças durante a festa momesca, o motorista de aplicativo Felipe Anderson Costa Silva, de 27 anos, correu ao centro de saúde.

Além de ser imunizado contra o sarampo, ele aproveitou para atualizar o cartão de vacina. “Estou muito ansioso pela folia e quero festejar ao máximo. É preciso ter segurança antes e depois do Carnaval”.

“O importante é procurar um posto de saúde. Lá, o profissional analisa quais imunizações faltam para completar a caderneta”, disse Lúcia Paixão, diretora de Vigilância Epidemiológica de Belo Horizonte.

Onde buscar

Vacinas essenciais para curtir o Carnaval sem se preocupar estão disponíveis, gratuitamente, em 152 postos de saúde da capital mineira. Confira:

Vacinação

Apesar da proximidade com a folia – pouco mais de duas semanas para a festa –, Lúcia Paixão, diretora de Vigilância Epidemiológica de Belo Horizonte, frisa que ainda dá tempo de se proteger. No caso do sarampo, é preciso duas doses para garantir a imunização. “Mas quem não tem nenhuma já toma a primeira”.

A médica chama atenção, ainda, para o tétano, infecção que, em casos mais severos, pode matar. “No Carnaval aumenta a chance de se machucar pisando em caco de vidro, por exemplo. Por isso, é importante estar protegido”, alerta a diretora.

Leia Mais:

Mortes por coronavírus passam de 400 na China
Com temor do coronavírus, máscaras somem do mercado em BH e preços disparam