Três suspeitos de atacarem um casal de militares dentro de casa, em Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), morreram durante confronto com agentes da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), que atuavam nas buscas, na tarde desta segunda-feira (6). Outros dois comparsas que teriam dado cobertura aos criminosos foram presos. 

Uma força-tarefa com autoridades da área de segurança pública foi instaurada para identificar os responsáveis pelos crimes. “No meio da tarde, a gente recebeu a informação do Ministério Público do paradeiro de um deles, que estaria perto de Ibirité. Nós deslocamos as viaturas da Rotam para lá e essa pessoa se entregou de imediato. A partir dele, conseguimos identificar o local em que os outros criminosos estavam”, explicou o coronel Olímpio Garcia Pereira Jr., comandante do Policiamento Especializado.

Força Tarefa

Cel. Olímpio Garcia Pereira Jr, comandante do Policiamento Especializado; cel Eduardo Felisberto, comandante da 2ª Região da PM;  delegado Marcus Vinícius e  Daniel Malard, promotor de Justiça

Dando sequência às buscas, os militares chegaram até uma casa usada pelos criminosos para dividir os lucros dos crimes e aguardar. "Nós seguimos para lá e as viaturas foram recebidas a tiros. Três criminosos atacaram os policiais e um fugiu. O que fugiu foi preso e os três que confrontaram as guarnições foram mortos", revelou o coronel.

Ainda segundo comandante, o objetivo do grupo era roubar a casa, mas quando perceberam que as vítimas eram policiais, começaram as agressões. “Quando eles descobriram que se tratavam de militares, eles ficaram mais preocupados em agredir covardemente do que roubar. Nós estamos apurando ainda o que foi levado”, explica Olimpo.

Com os criminosos foram apreendidos diversos cartões de banco, três armas de fogo, dentre elas uma pistola Gloc com Kit de rajada e carregador alongado.

Armas apreendidas PM

Em coletiva, o comandante da 2ª Região de Polícia Militar, coronel Eduardo Felisberto, contou como foram as buscas até a prisão e morte dos suspeitos.

A perícia da Polícia Civil esteve no local e recolheu provas. Agora, os presos serão ouvidos no Departamento de Operações Especiais (Deoesp) para apuração dos fatos e conclusão do inquérito. O caso também será acompanhado pela Procuradoria Geral de Justiça.

O ataque contra o coronel reformado, de 50 anos, e a cabo, de 34, ocorreu durante a madrugada. Os dois foram rendidos, espancados e baleados por pelo menos três homens armados que invadiram o sítio do casal no residencial Ouro Verde. Ainda segundo a PM, os homens fugiram no carro do coronel, que foi encontrado queimado em uma estrada que dá acesso à BR-381.

Câmeras de segurança da rua mostram a possível movimentação dos dois veículos em que estavam os suspeitos.

Assista:

Segundo a Polícia Militar, o oficial foi atingido por dois tiros no rosto. Já a cabo foi ferida por um tiro nas costas e outro na cabeça. Os dois também tiveram cortes e fraturas. Com apoio do helicóptero da PM, eles foram socorridos para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte.

O casal segue internado. A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG), responsável pelo hospital, não divulga estado de saúde dos pacientes.