Os servidores públicos municipais aceitaram a proposta da Prefeitura de Belo Horizonte de aumento de 7,2%. A decisão foi tomada em uma assembleia realizada nesta quarta-feira (27).

 “Esse valor não garante um ganho real, mas recupera a inflação do período do atual governo. Apesar de ser parcelado, os servidores avaliaram que não havia clima para greve”, explicou Israel Arimar, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel). 

Assembleia Sindibel

Apesar de ser parcelado, os servidores avaliaram que não havia clima para greve

O valor vai ser divido de duas vezes, sendo 3,78% a partir de 1º de janeiro de 2020 e 3,30% após o dia 1º de dezembro de 2020.

Atualmente, 64,3 mil servidores, sendo 45.209 ativos e 19.143 aposentados e pensionistas, fazem parte do quadro de funcionários. Com a aprovação da proposta pela categoria, a PBH enviará o projeto de lei à Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) para que o aumento seja autorizado pelo Legislativo e encaminhado, posteriormente, para sanção do prefeito.

Na sexta-feira (22), os professores da rede municipal decidiram acabar com uma greve que durou 17 dias e também aceitaram o reajuste de 7,2%.