"Matei porque me estuprou". Essa foi a frase escrita na parede da casa onde o corpo de um instrutor de autoescola de 41 anos foi encontrado na madrugada desta quarta-feira (2), em Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O suspeito, um rapaz de 21 anos, se entregou à polícia em outra cidade e confessou o crime.  

O corpo da vítima foi encontrado por um familiar na residência, na rua Cotochós, no bairro Parque Andiara, por volta de 3h30. A vítima estava caída no interior do imóvel com diversos ferimentos provocados por uma faca. De acordo com a Polícia Militar (PM), havia indícios de luta corporal entre o autor e a vítima e, em uma parede, estava escrita a mensagem sobre a suposta motivação do crime. 

O suspeito fugiu levando o carro da vítima, um Honda Civic, um iPhone 7, a carteira do homem e os equipamentos de monitoramento por câmera da casa. Porém, o rapaz deixou um cartão de banco em seu nome no local. 

A reportagem tentou contato com uma das autoescolas onde a vítima trabalhou, em Belo Horizonte, porém, ninguém quis comentar sobre a morte. 

Prisão

Antes mesmo que a ocorrência do homicídio fosse finalizada, a PM recebeu a informação de que um jovem se entregou na polícia de Santa Bárbara, na região Central do Estado, sua cidade natal. 

Ele contou que conheceu a vítima por um aplicativo e foi levado para a casa do homem, em Pedro Leopoldo, onde ficou por cerca de uma semana sofrendo abusos sexuais. Na terça-feira (1º) eles teriam brigado e entrado em luta corporal, momento em que, em legítima defesa, pegou a faca e acabou o matando. 

O rapaz foi preso em flagrante pelo assassinato, que será investigado pela Delegacia de Homicídios de Pedro Leopoldo. 

Leia mais:
Corpo de idoso com 14 facadas é achado seminu e com olho perfurado
Mulher é mantida em cárcere privado em Sete Lagoas por homem que conheceu pelo Facebook
Morador de rua é confundido com suposto estuprador, tem os olhos perfurados e acaba morto
Homem é preso suspeito de matar companheira e esconder corpo dentro de tambor em Venda Nova