Uma mulher de 23 anos e dois filhos dela, de 4 meses e de 2 anos, mantidos em cárcere privado desde a noite de quinta-feira (27), foram libertados nesta sexta (28) após a Polícia Militar descobrir a localização do cativeiro em Contagem, na Grande BH. Segundo a PM, ela teria o cabelo raspado e, posteriormente, seria levada para outro local para ser executada junto com as crianças. Cinco pessoas foram presas. 

Conforme o boletim de ocorrência, a corporação recebeu uma denúncia anônima sobre o sequestro da vítima na Vila Padre Dionísio, no bairro Jardim Laguna. Uma operação foi desencadeada para tentar encontrar a casa onde a mulher era mantida em cárcere e, ao perceber a presença de dois homens entrando em um imóvel, os militares fizeram a abordagem e encontraram a vítima. 

Quando os policiais abriram a porta do cômodo onde estava a família, encontraram um ambiente insalubre, sem local para fazer as necessidades físicas. No local, havia apenas um prato sujo de comida, uma garrafa de água e um copo. As vítimas estavam bem assustadas no momento do resgate.

O crime teria sido motivado por uma apreensão de drogas ocorrida na quinta naquela região, e os suspeitos desconfiaram que a mulher seria informante da polícia neste caso. Além dos dois homens, foram presas outras três pessoas, sendo duas que estavam na casa mantendo a mulher e as crianças reféns, e outra que seria a responsável por fornecer os equipamentos usados para tortura, como a máquina de raspar cabelo. 

Um dos suspeitos que estava dentro da casa ainda tentou jogar uma sacola cheia de cocaína pela janela. No local, além de outras drogas, também foram encontradas munições para diferentes tipos de armas, inclusive, fuzil. 

Um dos detidos era o dono do imóvel que foi usado como cativeiro. Os suspeitos foram encaminhados para a 6ª Delegacia de Plantão Contagem. 

Leia mais:

Quatro garotas são apreendidas por participação em assalto a motorista de aplicativo
Nigeriano que sequestrou a filha em BH é indiciado por três crimes