Com 4,6 milhões de foliões nas ruas de Belo Horizonte, durante o Carnaval, o risco de uma pessoa ter os dados roubados por golpistas aumenta. Por isso a Camara de Dirigentes Lojistas da cidade faz um alerta ao consumdior que deve redobrar a atenção com os furtos de documentos e cheques com dados do cliente e que podem ser usados por pessoas mal intenciondas. “Basta perder a Carteira de Identidade ou o CPF para aumentar a probabilidade de se ser vítima de uma fraude”, explica o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

A orientação da CDL para o consumidor que tiver um desses documentos roubados é acionar o SOS Cidadão, que funciona de segunda a sexta feira, de 8h30 às 17h30, na sede da CDL/BH, que fica na avenida João Pinheiro, 495, na região Centro-Sul da capital, O serviço é gratuito e pode ser acesssado de qualquer parte do Brasil. Além disso, é uma forma de evitar que os golpistas façam compras em nome do consumidor.. 

Para utilizá-lo, o consumidor deve primeiro procurar uma Delegacia de Polícia Civil e fazer uma ocorrência. “Em caso de perda ou roubo do cheque, o cancelamento deve ser junto ao respectivo banco. Já no caso do cartão, deve-se informar à administradora”, explica o presidente da CDL/BH.

Ainda de acordo com Silva, após esses procedimentos, a pessoa poderá registrar o roubo ou perda dos documentos e cheques no SOS Cidadão pelo telefone (31) 3249-1919. “O consumidor tem até sete dias para comparecer pessoalmente à CDL/BH e apresentar a ocorrência policial que comprove o fato. O não comparecimento neste prazo implica na retirada automática do registro”, ressalta.

Criado em 1998, o SOS Cidadão recebe, em média, 240 inclusões por mês. Em 2018 foram realizadas 2.872 inserções no serviço. Só em janeiro de 2019 foram 239 cadastros.

* Fonte: CDL-BH

Leia mais:
BHTrans aposta em aplicativos e parceria com Google para ajudar deslocamento de foliões no Carnaval
Bombeiros vão usar drones para 'resgatar' foliões passando mal; mil homens vão atuar nos blocos
PM terá policiais com binóculos em varandas de casas para observar blocos do Carnaval